“A Família Dionti” exibido no FESTin


10 de Maio, 2016

Fotografia: DR

O filme “A Família Dionti”, do realizador brasileiro Alan Minas, foi exibido sábado, no cinema São Jorge, em Lisboa, no âmbito do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin).

Após a estreia no Festival, que encerra amanhã, a longa-metragem entra em cartaz nas principais salas de cinema do Brasil, a partir de Setembro, segundo o “Estadão” de São Paulo.
Emocionado pela lotação esgotada da sala de cinema, o realizador  brasileiro considerou de “impressionante ver um cinema com sala tão cheia como foi na abertura do FESTin, com tantas pessoas a acompanhar um festival lusófono”.
Sobre a sua longa-metragem, o carioca disse que nasceu a partir duma indagação sobre o que acontecia se alguém amasse tanto que se derretesse de amor, ou de um realismo fantástico e uma inspiração levados às últimas consequências. “São camadas de metáforas e de leituras diante de uma paixão e das vicissitudes na vida”, acrescentou.
Com António Edson, Gero Camilo e Anna Luiza Marques no elenco, “A Família Dionti” tem 97 minutos, e é uma ficção original e poética que narra a fantástica história de um pai e seus dois filhos, Kelton, de 13 anos, e Serino, de 15 anos, que vivem numa fazenda no Estado de Minas Gerais. O filme foi contemplado com o Prémio Nova Iorque do Tribeca Film Institue. Tem co-produção inglesa, o que possibilitou fazer em Londres os efeitos especiais, correcção de cor, desenho de som e mistura final.
A ficção transformou-se também em livro, com o mesmo nome. Actualmente, o realizador trabalha no argumento de um novo projecto cinematográfico, com o título “Deserto de Luíza”, sobre uma adolescente que passa dificuldades.

O Festival

Único festival dedicado ao cinema lusófono em Lisboa, o FESTin este ano reforça os laços da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) com uma homenagem à instituição. Para além de filmes e leituras de contos sobre os nove países que compõem a CPLP, Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial e Timor-Leste, também inclui uma parceria com escolas para uma visita didáctica à sede da instituição.
Angola participou com vários filmes, entre os quais “Crianças acusadas de feitiçaria. Entre os eventos paralelos, o FESTin apresenta a Oficina “Cinema, Educação e Comunicação Comunitária” e a mesa-redonda “O Cinema como Forma de Fomentar o Turismo”.
  O FESTin é organizado pela Associação Cultura e Cidadania da Língua Portuguesa (ASCULP), em co-produção com o Cinema São Jorge e parceria estratégica com a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), e conta com o apoio financeiro da Câmara Municipal de Lisboa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA