A outra dimensão de Ngola Casaca

Manuel Albano |
3 de Setembro, 2015

Fotografia: Domingos Cadência

O artista plástico Ngola Casaca incentivou a nova geração de pintores angolanos para uma maior dedicação e organização no sentido de ajudarem a melhorar a qualidade das obras produzidas e o crescimento das artes no país.

Em declarações ao Jornal de Angola, terça-feira, durante a cerimónia de inauguração da sua exposição individual de serigrafia e instalação intitulada “Viver Noutra Dimensão”, no salão da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), o artista defendeu maior disciplina e organização dos fazedores de arte para permitir que a mesma se desenvolva em todas as disciplinas artísticas, em particular nas artes plásticas.
“A fama e o reconhecimento devem ser antes de tudo o resultado de um trabalho bem concebido, com a produção de obras que tragam essencialmente elementos identitários da cultura angolana”, frisou Ngola Casaca, para quem a valorização dos símbolos nacionais, a promoção de actividades culturais lúdicas e a exploração de temas que incentivem o resgate dos bons hábitos e costumes devem continuar a ser exaltados pela sociedade.
Na sua perspectiva, as artes plásticas no país têm dado sinais visíveis de crescimento pela qualidade de trabalhos apresentados e pelo surgimento de artistas inovadores num mercado cada vez mais concorrido e competitivo.
“Os artistas nacionais já começam a ter mais oportunidades para mostrar as suas obras no mercado internacional com a participação em bienais e festivais de promoção das artes plásticas”, salientou.  Na exposição, o artista explorou notas antigas da moeda angolana, o Kwanza, utilizando a serigrafia e instalação em cima das mesmas. A mostra vai estar aberta ao público até ao próximo dia 16. Os temas homenageiam as etapas por que as moedas já passaram ao longo dos 40 anos de Independência de Angola.
Composta por 12 quadros pintados em acrílico sobre tela e oitos instalações, os destaques da mostra recaem para os quadros “Lombongo Yetu I e II”, “Sem Tempo”, “Conversão”, “Born Free”, “Gente matumba como nós”, “Sono”, “Dimensão”, “Sem Stress”, “Be Happy”, “Cosmo” e “Kuanzando”.
Ngola Casaca é artesão, gastrónomo e cenógrafo de teatro e televisão. Formado em Vitral (vidros artísticos) em Coimbra, Portugal, já realizou várias exposições individuais e afirma-se como um artista de rua. Os seus trabalhos são temáticos e comummente apresentados em espectáculos de teatro e humor.
O artista já expôs em ruas e avenidas em Portugal, Espanha e Bélgica. Trabalhou em parceria com a antiga gestão da Baía de Luanda no projecto “Feira de Artesanato de Cultura e Artes”, um espaço que albergava aos sábados e domingos uma feira de exposições e espectáculos como forma de estimular a interacção entre os artistas e o público. Depois de ter vivido entre a Europa e a Ásia, Ngola Casaca regressou ao país há três anos com o objectivo de ajudar a promover as artes plásticas em Angola e transmitir o seu legado de mais de 42 anos às novas gerações de artistas.
Produtor do projecto artístico “Elinga no Feminino”, um conjunto de actividades multidisciplinares que decorreu no espaço Elinga nos dias 12 e 13 de Março deste ano, Ngola Casaca revelou que vai manter a aposta em trabalhos feitos à base de serigrafia e instalações.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA