Abertas as jornadas do Herói Nacional


17 de Setembro, 2014

Fotografia: Paulo Mulaza |

A Fundação António Agostinho Neto (FAAN) promove este mês, em Angola e no estrangeiro, várias actividades destinadas a saudar o 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional.

Entre as iniciativas contam-se o lançamento, em Benguela, Cuanza Sul, Huambo e Huíla, do livro “A Renúncia Impossível de Agostinho Neto - Um novo Discurso Poético, Intertextualidades e Alcance Pedagógico”, de Catarina Rodrigues.
A FAAN apresenta naquelas províncias os DVD “Portugueses Falam de Agostinho Neto”, que é uma recolha do testemunho de pessoas  sobre o tempo em que o “Poeta Maior” viveu em Portugal. Hoje é apresentado, em Seul, Coreia do Sul, na Universidade Hanbuk de Estudos Estrangeiros, o livro “A Noção de Ser”, com textos de Agostinho Neto seleccionados por Pires Laranjeira e Ana Rocha.  A apresentação do livro é feita por Victor Bunga, director da FAAN, e Ana Rocha.
A FANN também participa  de domingo a terça-feira, em Yamoussoucro, Costa do Marfim, no II Encontro da Rede de Fundações Africanas e Instituições de Pesquisa para promoção de uma cultura de paz em África.

 São Tomé e Príncipe

Uma palestra subordinada ao tema “Neto: Percurso Político e Literário” proferida por John Bela marca hoje as comemorações do 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, em São Tomé e Príncipe.  As comemorações incluem uma exposição fotográfica sobre a “Vida e Obra” do homenageado, a projecção de um vídeo com o mesmo título, declamação de poemas, bem como de testemunhos de escritores e contemporâneos de Agostinho Neto.  Em Mbanza Congo, o padre Álvaro Luvisa recordou que Agostinho Neto “foi um nacionalista convicto que dedicou a vida em prol da liberdade dos angolanos e de outros povos do continente”.
Numa cerimónia religiosa realiza na Sé Catedral e integrada nas celebrações do 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, o padre disse que “os ideais de Agostinho Neto permanecem vivos” e que ele deve ser lembrado como “um pai que sempre se preocupou com os filhos”.
O padre lembrou também a afirmação de Agostinho Neto “o mais importante é resolver os problemas do povo” que “resume o verdadeiro carácter do líder e fundador da Nação angolana”.
António Agostinho Neto nasceu na vila de Catete, município do Icolo e Bengo a 17 de Setembro de 1922, foi poeta, médico, formado nas Universidades de Coimbra e de Lisboa, em 1975 tornou-se o primeiro presidente de Angola até 1979.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA