Cultura

Académicos iniciam partilha dos resultados das investigações

As histórias sobre a escravatura na Ilha de Moçambique e as consequências desta na vida dos autóctones, que foram o tema do Colóquio Internacional sobre a escravidão, realizado naquele país, começaram a ser divulgadas pelos investigadores convidados.

 

Museu de Escravatura situado no Futungo
Fotografia: DR

Os peritos moçambicanos e estrangeiros, que reuniram durante quatro dias, de 20 a 23 do mês de Agosto, destacaram os diferentes aspectos das suas investigações.
Ivan Zacarias, coordenador geral da Oficina de História de Moçambique, fez um balanço positivo do colóquio, principalmente por ter correspondido às expectativas da organização de ajudar os académicos moçambicanos e estrangeiros a exprimirem as suas ideias sobre o processo de escravatura.
"O colóquio mostrou a importância de se constituir núcleos de pesquisa, compostos por investigadores moçambicanos que, com base numa perspectiva africana, pesquisem e divulguem conteúdos sobre o impacto da escravatura em Moçambique e no mundo, com base numa visão multidisciplinar", disse, além de garantir a publicação das comunicações em livro.
O coordenador da oficina frisou ainda que um dos grandes ganhos do colóquio foi ter impulsionado a participação massiva de académicos de instituições universitárias e pedagógicas moçambicanas, o que abriu possibilidades de colaboração e parcerias futuras.

 

 

Tempo

Multimédia