Cultura

Actores brasileiros trocam experiências

O principal objectivo do Colectivo Negro do Brasil, um dos convidados da 12.ª edição Festival Internacional de Teatro do Cazenga (Festeca), que decorre até amanhã, no Centro de Animação Artística Anim’art, em Luanda, é conhecer e explorar melhor a cultural dos angolanos.

Integrantes do colectivo do Brasil satisfeitos com a iniciativa
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, o actor brasileiro Raphael Garcia disse que embora a ideia inicial é a participação no festival, o grupo pretende aproveitar a estadia no país, para trocar experiências sobre as artes cénicas com os grupos angolanos, explorar a cultura, locais e sítios históricos principalmente, nos arredores da cidade capital.
Raphael Garcia explicou ser esta uma oportunidade para o fortalecimento dos laços culturais, fundamentalmente no domínio da dramatologia. “Já podemos assistir algumas peças de teatro feita pelos grupos angolanos e conseguimos sentir presença de elementos característicos da cultura local”.
A implementação nas peças de teatro sobre o quotidiano, explorando de forma muito forte os aspectos da tradição, disse, foi um dos aspectos que o tem chamado atenção, razão pela qual, torna as obras bastantes representativas.
Para o actor Flávio Rodrigues, um dos integrantes do colectivo, que também está pela primeira vez em Angola, a estadia no país, é de certa forma, regressar às origens e poder por meio da arte, poder melhorar o seu conhecimento sobre a realidade social e cultural dos angolanos pelos laços de amizade que unem a cultura dos dois povos.
Manuel Albano

Tempo

Multimédia