Actores do Horizonte Ngola Kiluanje estão de saúde

Roque Silva |
4 de Abril, 2017

Fotografia: JAIMAGENS

Os dois actores do colectivo de artes Horizonte Ngola Kiluanje, baleados na noite de sexta-feira, no bairro São Pedro da Barra, no distrito urbano do Sambizanga, em Luanda, estão fora de perigo.

Embora tenham sofrido ferimentos graves, contrariamente às notícias e relatos divulgados nas redes sociais, segundo as quais César Augusto “Drói” e Vicente Kudihaluka “Gaúcho” foram atingidos mortalmente por um agente da Polícia de Guarda Fronteira, quando saíam da gala de abertura da sétima edição do Festival de Teatro da Paz (Festeapaz), os actores são bem assistidos pelas equipas do Hospital Josina Machel.
O Jornal de Angola apurou que os actores estão vivos e fora de perigo. Drói, atingido nas costas, sofreu uma intervenção cirúrgica, enquanto o colega Gaúcho, atingido no joelho, tem sido alvo de curativos.
O director do Festeapaz, Osvaldo Moreira, que tem visitado os actores, confirmou o facto narrado pelos mesmos e por dois outros que se meteram em fuga na altura do episódio.
Osvaldo Moreira informou que houve exagero na forma como os factos foram inicialmente relatados. Acrescentou que, quatro actores do grupo Horizonte Ngola Kiluanje, entre os quais um menor de 14 anos, foram interpelados no bairro onde vivem, próximo do local dos ensaios e de uma unidade da Polícia de Guarda Fronteira.
Os supostos agentes da Polícia pediram aos actores para se deitarem, tendo os mesmos obedecido. Drói aproveitou para arremessar para o chão uma arma de madeira usada como adereço num dos espectáculos.  Segundo o director do festival, embora os agentes tenham confirmado o objecto, fizeram disparos e meteram-se em fuga. Os actores, prosseguiu, afirmaram ter justificado as razões pelas quais transportavam o objecto,  mas “os pedidos não foram suficientes para apelar à sensibilidade dos malfeitores”, disse Osvaldo Moreira. Revelou ainda que os colegas dos actores baleados fizeram queixa numa das esquadras de Polícia, no bairro São Pedro da Barra, no Sambizanga. 
Osvaldo Moreira mostrou-se indignado pela atitude dos supostos polícias da Guarda Fronteira, questionando as função dos mesmos. Há sete anos que o Festeapaz tem reunido grupos de várias províncias, que apresentam peças na ex-Liga Africana, com o espírito de festejarem os acordos de Paz e Reconcilaição Nacional, rubricados a 4 de Abril de 2002.

Programa e objectivos


De acordo com o programa, estão agendados 18 espectáculos, com a participação de 18 grupos, representantes de Luanda, Huíla, Cuanza Sul, Namibe e Malanje.  A província de Luanda faz-se representar com o maior número de grupos, num total de 14, um a mais do que na edição anterior. A organização do Festival de Teatro da Paz vai distinguir o Melhor Grupo Emergente, Melhor Actor e a Melhor Actriz.
Também vão ser, igualmente, homenageados os grupos Horizonte Njinga Mbande, Etu-Lene, Oásis, Julu e Miragens Teatro, pelo contributo que têm prestado ao longo de décadas para a promoção, divulgação e preservação do teatro angolano.
Além da apresentação de peças na ex-Liga Africana, de teatro comunitário e infantil em escolas e locais públicos, o programa reserva a realização de ciclo de palestras e intercâmbio para troca de experiências.
São abordados temas como “A importância da formação artística”, “O movimento artístico feminino”, “A caracterização dos tipos de teatro feito em Angola”, “Como rentabilizar o teatro”, “O contributo do teatro na segurança pública” e “A influência do teatro na personalidade do indivíduo”.
Promover o teatro feito por crianças, por forma a incentivá-las e a criar-lhes o gosto pelas artes é, também, um dos fundamentos a ser atingido pela organização, que espera este ano um aumento do público e do envolvimento da classe artística.
 É ainda um dos objectivos a contínua inovação, maior envolvimento dos espectadores em todos os eventos e  divulgação nas redes sociais, por forma a criar uma maior interacção entre actores e espectadores.

capa do dia

Get Adobe Flash player



ARTIGOS

MULTIMÉDIA