Cultura

Actriz Jeanne Moreau faleceu aos 89 anos

Jeanne Moreau, uma das actrizes mais emblemáticas do cinema francês e musa da Nouvelle Vague, morreu, em Paris, aos 89 anos.

Jeanne Moreau, que fez mais de 100 filmes ao longo de uma carreira de 65 anos, incluindo “Amantes”, de Louis Malle, “Jules e Jim”, de François Truffaut, e “O Diário de uma Camareira”, de Luis Buñuel, foi encontrada morta na sua residência na capital francesa, informou o seu agente, confirmando uma notícia da revista "Closer".
De acordo com várias fontes, o corpo foi encontrado na manhã de segunda-feira por uma pessoa que trabalhava na limpeza da casa.
“Foi uma parte da lenda do cinema”, afirmou o Presidente francês Emmanuel Macron em comunicado, no qual descreve Moreau como uma mulher “livre, rebelde e ao serviço das causas nas quais acreditava”. A ministra da Cultura, Françoise Nyssen, completou: “Ela  foi-se mas a sua voz, a sua genialidade, a sua visão de mundo prevalecem”.
O seu talento, a beleza fora do comum e a voz profunda fascinaram grandes cineastas, como Joseph Losey (“Eva”), Wim Wenders (“Até o Fim do Mundo”) e Orson Welles (“História Imortal”), que a descreveu como “a melhor actriz do mundo”.
Ela também dirigiu dois filmes: “No Coração, a Chama” (1976) e “O Adolescente” (1979). “Tenho dentro de mim uma espécie de energia que não controlo”, explicou a artista, para quem o cinema “não era uma carreira, e sim uma vida”.
“Para mim, o cinema nunca foi uma indústria. Não me importa meu valor na bilheteira”, afirmou uma vez.

Tempo

Multimédia