Acusações ameaçam o "Pai da América"


22 de Dezembro, 2014

Fotografia: Divulgação

Os EUA estão a perder um dos seus “pais televisivos”, Bill Cosby, a figura tutelar de uma das mais populares e socialmente relevantes séries norte-americanas da década de 1980. O artista está novamente no centro de um furacão mediático em que é alvo de várias acusações de violação e abuso sexual.


Os dois projectos que tinha para regressar aos ecrãs foram cancelados ou adiados e a sua carreira está a ser manchada.
Bill Cosby, de 77 anos, está a ser alvo de acusações de violação pela segunda vez na sua longa carreira. Em 2005 surgiram os primeiros relatos, pela voz da funcionária universitária Andrea Constand, que deram origem a uma investigação policial e surgimento de mais alegadas vítimas de violação por parte do actor.
A advogada Tamara Green e a aspirante a actriz Barbara Bowman estavam entre elas. Andrea Constand chegou a acordo para resolver o seu processo e outras 13 mulheres citadas como testemunhas não chegaram a depor. Durante o processo, os advogados de Bill Cosby negaram as alegações e o comediante nunca foi formalmente acusado de quaisquer crimes sexuais.
Barbara Bowman e Tamara Green reiteraram as suas histórias em Fevereiro deste ano na “Newsweek” e a defesa do comediante voltou a negar, lembrando que estas “eram nada há dez anos e ainda são nada”.
Porém, há um mês, o comediante norte-americano Hannibal Buress dedicou parte do seu número de actuação às acusações de violação em torno de Bill Cosby e um vídeo destas exibições foi posto na Net. Devido a isso, Barbara Bowman escreveu um texto de opinião no “Washington Post” em que detalha as circunstâncias em que foi violada. Depois, a ex-modelo Janice Dickinson disse pela primeira vez, ao programa de televisão “Entertainment Tonight”, que também foi drogada e violada por Bill Cosby.
Os advogados do comediante disseram que a história de Janice Dickinson é “uma mentira fabricada” e enviaram uma carta à imprensa avisando os jornalistas que quem acompanha esta história “avança por sua conta e risco”. Somente, quando a 15ª mulher acusou Bill Cosby de violação, a indústria começou a tentar dissociar-se da polémica.
A cadeia televisiva norte-americana NBC cancelou o seu “Projecto Cosby”, que estava ainda em fase de desenvolvimento. As repetições da série que o tornou mundialmente conhecido, “The Cosby Show”, também foram canceladas no canal de cabo americano TV Land e dois “talk shows” já não o querem como convidado – o de David Letterman e o da actriz Queen Latifah.
Ainda assim, segundo a Reuters, o comediante mantém agendado um espectáculo já esgotado na Florida. A rádio pública americana NPR questionou Bill Cosby sobre os casos e o comediante respondeu com silêncio. Uma das poucas vozes a sair em sua defesa foi a da também comediante Whoopi Goldberg, que no seu programa “The View” disse ter “muitas perguntas” sobre as alegações contra o actor Bill Cosby, entre elas, esta: Porque Barbara Bowman não se queixou à polícia após as violações?.
Bill Cosby é casado com Camille Cosby há 50 anos e grande parte da sua carreira foi construída em torno de um apelo à vida familiar, dos seus livros sobre os pais, as suas participações no programa televisivo infantil “Rua Sésamo”, mas sobretudo pela série que o tornou uma figura essencial dos anos 1980 americanos. Ele era o “pai da televisão”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA