Adeus Fenacult

Manuel Albano|
21 de Setembro, 2014

Fotografia: Eduardo Pedro

Milhares de espectadores assistiram ontem ao encerramento do segundo Festival Nacional de Cultura, no histórico regresso do FENACULT ao estádio nacional da Cidadela, 25 anos depois.

A cerimónia foi presidida pelo ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, em representação do Presidente da República.
A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, disse que o festival permitiu a exaltação da cultura angolana e estabelecer a comunicação entre as mais variadas manifestações artísticas.
A responsável destacou na cerimónia de encerramento, que o segundo FENACULT teve como objectivo unir os povos, criar uma maior coesão entre os criadores e promover a diversidade cultual no país.
Ao destacar a sua abrangência, disse que o festival procurou ser o mais inclusivo e permitir aos criadores apresentarem uma diversidade temática das suas obras, bem como a realização de palestras e colóquios sobre o actual estado da cultura.
Realçou que a realização da Feira das Indústrias Culturais, enquadrada também no âmbito das festividades do FENACULT, permitiu aos produtores e criadores nacionais mostrarem as suas potencialidades artísticas. Considerou o festival como um teste, que deve servir de experiência e ensaio para a realização exitosa das próximas edições do Festival Nacional da Cultura. “A implementação da política cultural foi cumprida com a realização deste evento”, destacou a responsável. Enalteceu a possibilidade do festival abrir portas e dar maior visibilidade às criações de artistas de outras províncias. A realização de festivais de teatro, dança e música, à margem das festividades, ajudou a promover o espírito que norteia o FENACULT, como sendo uma festa nacional, ao alcance de todos. Destacou igualmente o empenho, espírito de solidariedade dos artistas angolanos durante a realização das mais variadas manifestações artísticas, nos domínios da dança, teatro, música, literatura, humor, colóquios, artes plásticas e os Comboios Culturais. Rosa Cruz e Silva referiu que o objectivo foi transmitir e mostrar as populações a riqueza e diversidade cultural do país, criando o intercâmbio entre as culturas das mais variadas regiões de Angola.
A cerimónia de encerramento do FENACULT-2014 contou com um espectáculo que teve duas partes. A primeira preenchida por um show multimédia, com coreografia e videogramas, a narrar a história de Angola, suas potencialidaddes económicas e culturais, através de dança e projecção de imagens de arquivo em 3D sobre o relvado, envolvendo centenas de figurantes, que deram colorido à festa, assistida por milhares de espectadores.  A segunda parte consistiu  num espectáculo musical em que desfilaram no palco vários artistas e grupos de dança angolanos, numa festa que foi vivida com muita emoção.

Manu Dibango


O espectáculo do músico Manu Dibango, que estava previsto para sexta-feira, no Cine Atlântico, no âmbito das festividades do FENACULT, apenas acontece hoje, no Cine Tropical, em Luanda.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA