Cultura

Africanos são premiados em Outubro

Roque Silva |

A gala dos prémios “African Entertainment Awards” (AEA-USA), edição 2017, realiza-se dia 21 de Outubro, em Nova Jérsia, Estados Unidos, segundo o anúncio da ­organização.

Nilza Lima indica concorrentes dos Palop
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

Cantores, agentes culturais e organizações não governamentais nacionais podem ser distinguidos, de acordo com Nilza Lima, representante para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), ao tornar pública ontem, em Luanda, a data da gala. Nilza Lima informou que essa data para atribuição dos troféus aos vencedores da terceira edição do (AEA-USA) foi definida pelo Comité Organizador .
Adiantou que o regulamento refere que os concorrentes são indicados pelos representantes de cada região ou país e depois passam por uma avaliação feita pela organização.
Em declarações ao Jornal de Angola, adiantou que aos candidatos dos Palop estão em fase de selecção de cantores, produtores, promotores de espectáculos e ONG, que mais se destacaram entre Novembro de 2016 e Junho de 2017.
Os requisitos para a indicação dos cantores angolanos são estão relacionados com a quantidade de seguidores que conquistaram nas redes sociais, qualidade e a reacção dos internautas pelos trabalhos (músicas e videoclipes) gravados e publicados nas plataformas digitais e as digressões realizadas quer no interior quer no exterior.
Os agentes culturais que promoveram o maior número de espectáculos e as associações ou ONG que continuam a apoiar os desfavorecidos têm maior probabilidade de serem seleccionados, segundo Nilza Lima, que foi nomeada, recentemente, ao cargo depois de responder apenas por Angola na edição passada. Os candidatos angolanos vão concorrer em 20 das 21 categorias em competição, por existir um troféu atribuído ao Melhor Artista Francófono. Angola teve 14 concorrentes na edição passada e teve três vencedores, a designar Coreón Dú (Artista do Ano), Lípsia (Melhor Novo Talento) e a Fundação Lwini (Prémio Comunitário), durante uma gala realizada a 22 de Outubro no Liberty Theater Elizabeth, em Nova Jérsia.
Concorreram, também, na edição de 2016, os cantores Anselmo Ralph e Badoxa (Melhor Artista Masculino da Lusofonia), Yola Semedo, Pérola e Nsoki (Melhor Artista Feminina da Lusofonia).
A cantora Ana Joyce (Melhor Artista Feminina), Master Jake (Melhor Artista Masculino),  Jay Oliver (Novo Talento), Os Moikanos (Grupo de Dança), o promotor de espectáculos Daniel Mendes (Melhor Produtor e Promotor Musical) e o concurso “Angola Music Awards” (Melhor Gala de Premiação), enquanto o Dj Darcy conquistou, em 2015, o troféu de Melhor Colaboração, com o tema “Wawera”, com participação de Preto Show, Daniel Nascimento e Maya Zuda. As duas primeiras edições do concurso foram dominadas pelos cantores nigerianos.   
“African Entertaiment Awards” premeia artistas africanos e norte-americanos que mais se destacaram nos seus países e na diáspora.
A valorização e a expansão dos estilos  africanos, como afro beat, assiko, bongo, decale, funana, genge, highlife, hiplife, kwaito, lingala, kizomba, kuduro, semba e soukous são os objectivos da criação do concurso.

Tempo

Multimédia