Cultura

Alberto Moma “pinta” no “Noites Amenas”

O projecto cultural “Noites Amenas”, que visa homenagear os heróis anónimos, cujo exemplo de vida influ-encia de forma positiva a sociedade, realiza amanhã, a partir das 17h30, na unidade hoteleira 3J, em Luanda, a segunda edição com a história de vida do artista plástico Alberto Moma.

Fotografia: DR

Depois da primeira edição realizada no mês passado, que teve como homenageado o zungueiro de rebuçados, Elevino Bonga, popularmente conhecido como “doutor Vi-cente”, o projecto traz nesta segunda edição uma história que vai comover as pessoas, de acordo com a porta-voz da Associação dos Jovens Amigos da Literatura (AJAL).
Teresa Cassoma disse que o jovem, apesar de andar numa cadeira de rodas com os membros imobilizados, é artista plástico e prepara-se para realizar a primeira exposição individual. “Alberto Moma nasceu em 1992, com seis quilogramas e cheio de saúde. Aos três anos, já ajudava o pai, conduzindo carro de mão. Ainda com três anos, foi afectado por uma doença que lhe paralisou os membros superiores e inferiores, sendo apenas possível mover a cabeça. A esperança dos pais apontava para uma melhoria do filho, mas, infelizmente, Moma vive até hoje na cadeira de rodas. Apesar das dificuldades e limitações, o jovem entrou para a escola. Estudou até a 10ª classe e é um artista plástico”, conta Teresa Cassoma, para quem a história é heróica.
Segundo a porta-voz, o homenageado vai partilhar a sua história, dando oportunidade às pessoas que acorrerem ao evento de reflectirem profundamente sobre a vida e decidirem entre dois caminhos: luta pela vida ou fracasso. “Este é justamente o objectivo do projecto”.

Tempo

Multimédia