Cultura

“Alembamento” abre as sessões de teatro

Roque Silva

O grupo Puniv Teatro, do Cuanza-Sul, exibe hoje, às 19h00, na LAASP (ex-Liga Africana), em Luanda, a peça “Marcos do Alembamento”, cujo enredo trata da preservação daquele ritual e tributo prestado por um homem à família de sua noiva.

O drama, escrito e montado por Noé Aarão, que é apresentado no âmbito do Festival Internacional de Teatro da Paz (FESTEAPAZ), aborda aspectos indispensáveis numa cerimónia de casamento tradicional angolano, realizado no Cuanza-Sul, sob pena de o casal vir a ter problemas no futuro.
 A peça tem 45 minutos, decorre num cenário em que é encenado um alembamento, onde as famílias enfrentam intensas discussões sobre a divisão dos dotes. Após intensas conversações as famílias chegam a consenso, realçando a necessidade e importância do casamento tradicional, com o intuito de se preservar a saúde, e a procriação no seio do casal.
O director artístico do grupo Puniv Teatro informou que, respeitar a tradição, no Cuanza- Sul, evita problemas de vária ordem para o casal, entre os quais a saúde reprodutiva.
“Quando o casal não respeita os costumes, a mulher corre o risco de ficar grávida mais de 12 meses, o filho nasce com problemas e pode morrer a mãe durante o parto”, disse Araújo Quipeca.
O Puniv Teatro surgiu com o objectivo de abordar aspectos sobre cidadania, exaltar os valores pedagógicos, cívicos e culturais. Conquistou o Melhor Espectáculo e Melhor Trabalho de identidade cultural, no Cazenga.

Tempo

Multimédia