Amazonas exibe “A matrícula”

Manuel Albano
18 de Setembro, 2016

Fotografia: DR

O conflito e os desrespeitos durante uma viagem de táxi são a proposta do espectáculo de teatro “A matrícula” que a Companhia de Teatro Amazonas exibe hoje, às 20h00, e dia 25, à mesma hora, no auditório da Escola Alda Lara, em Luanda.

Inspirada na realidade luandense, a peça “A matrícula (LD-75-61-VN)” aborda a vivência dos citadinos, na perspectiva social, económica e cultural, assente numa linguagem comum e simples dentro de um táxi, vulgo quadradinho, que faz o trajecto, 1º de Maio-Viana.
Durante a viagem, os personagens narram as dificuldades que vivem no dia-a-dia, analisando os motivos que levam os taxistas a aumentar o preço da corrida, devido ao trânsito caótico que se verifica de um tempo a esta parte na cidade capital, particularmente naquele trajecto.
O excesso de velocidade, o consumo de bebidas alcoólicas durante a condução e as constantes violações às regras do Código de Estrada são apontados na peça como uma das causas que levam consequentemente ao aumento da sinistralidade rodoviária no país.
Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, o encenador Chance Elchadai disse que a ideia é continuar a explorar em palcos os principais assuntos ocorridos no quotidiano do angolanos, por forma a ajudar a despertar a consciência dos cidadãos. O espectáculo, explicou o encenador, apresenta várias vicissitudes a que muitos dos clientes dos candongueiros são submetidos durante uma corrida de táxi até ao seu local de destino.
 “A ideia da peça não é culpar ninguém, mas mostrar a importância de criar-se um clima de harmonia e respeito mútuo.” 
O grupo Amazonas Teatro é composto por 15 integrantes e foi fundado em 2013, já foi distinguido com os prémios “Melhor Texto” no concurso “Angola Independente” e segundo classificado no concurso “Cena Livre”.
Além deste espectáculo de teatro conta também com as peças “ Se não fossem as mulheres” e “ Lição número 61 à 75”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA