Cultura

Angola e África do Sul partilham festividades

Edvaldo Lemos

A dimensão cultural e artística de Angola e África do Sul estão a ser evidenciadas desde a noite de quinta-feira até 7 de Dezembro, no palco do Palácio de Ferro, em Luanda, inserida na Semana Cultural Sul-africana, comemorativa do Dia da Liberdade da terra de Nelson Mandela.

Fotografia: DR

Na abertura da semana, o secretário de Estado da Cultura para a área Científica, Aguinaldo Cristóvão, destacou os momentos de partilha de experiências que os artistas dos dois países vão poder trocar durante o evento, tendo felicitado, em nome da ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, o povo sul-africano pela celebração dos 25 anos do Dia da Liberdade daquela nação africana.
“Quero, igualmente, em nome da ministra da Cultura, desejar boa estada a toda delegação sul-africana presente nesta troca de experiências, que existirá ao longo desses dias com os artistas angolanos e sul-africanos, que vão poder trabalhar sobre obras de artes conjuntas e partilhar o palco juntos para consolidação de relações culturais entre os dois povos”, disse.
O secretário de Estado da Cultura disse que essa iniciativa é a conclusão de um desejo da diplomacia dos dois países, uma vez que já trazem consigo um laço histórico e cultural. A realização em Luanda da Semana Cultura Sul-africana, frisou, é fruto de um protocolo de cooperação rubricado em 2008, entre os ministérios da Cultura dos dois países.
“Hoje, estamos a materializar um desejo que foi formulado em 2008 por ambos ministros da Cultura, que assinaram uma declaração conjunta. As semanas culturais representam o momento mais importante, o momento que permite uma maior aproximação entre as nossas culturas e a interacção dos artistas de ambos países”, afirmou.
Na ocasião, o director-geral do Departamento de Arte e Cultura da África do Sul, Vusumuzi Mkhize, considerou a semana cultural um evento inovador, comemorativo do Dia da Liberdade daquele país, e um factor muito importante para os dois países.
“Estamos aqui para celebrar as relações culturais entre os dois países, com um evento inovador para celebrar os 25 anos de independência e liberdade da África do Sul”, afirmou.

Espectáculo

Ao som da marimba angolana, foram dadas as boas vindas aos convidados, que marcaram presença na abertura da semana cultural, quinta-feira, no Palácio de Ferro, sucedidas da realização de um espectáculo musical e a inauguração de uma exposição de artes de artistas da África do Sul.
Depois da entoação dos hinos de Angola e da África do Sul, o Ballet Tradicional Kilandukilu teve a responsabilidade de abrir o espectáculo, com a excelente apresentação de uma dança, que retrata os costumes da nossa tradição, que “roubou” aplausos da plateia.
O músico Maweza, acompanhado de uma guitarra, interpretou temas da sua autoria e de artistas renomados do continente africano. A poesia angolana também marcou presença na voz da poetisa Kanguimbo Ananaz, no jeito que lhe é peculiar de recitar, tendo feito viajar a plateia no espírito da irmandade africana, através da poesia.
Do lado sul-africano, subiram ao palco a poetisa Napo Masheane e o artista Lutuhando, que representaram a criatividade que lhes caracteriza. O encerramento do espectáculo esteve a cargo da sul-africana Yvonne Chaka Chaka, considerada a voz de ouro daquele país.

Tempo

Multimédia