Cultura

Angola garante continuidade em todas Noites dos Sabores

Francisco Pedro

Angola participou, pela primeira vez, na Noite de Sabores Francófonos, sendo candidato a membro observador da Francofonia, em que participaram 18 países de língua oficial francesa, no Museu Nacional das Forças Armadas, antiga Fortaleza São Miguel, em Luanda.

A arte da culinária é uma das mais puras expressões de identidade cultural depois da língua
Fotografia: DR

O stand de Angola apresentou, na noite de sexta-feira, diversos pratos da culinária típica, incluindo bebidas, numa produção do Ministério do Turismo, em colaboração com o Ministério da Cultura.
Carolina Cerqueira considerou que a presença de Angola deve-se ao manifesto evocado em 2018 pelo Presidente da República, João Lourenço, de o país aderir à Francofonia, pois “comunga os mesmos princípios que a norteiam, alicerçados pelo diálogo, a solidariedade internacional, a cultura e os bens comuns da humanidade, assim como os valores comuns da Paz, da democracia e dos direitos humanos”, disse a ministra da Cultura.
No stand de Angola havia quizaca, funje, “menha ndungo”, bata doce, mandioca, catato, sumo de múcua, kisângua de milho, maruvo, entre outros sabores. A ministra Carolina Cerqueira referiu que os pratos típicos representam a diversidade cultural do país, sendo a Noite de Sabores Francófonos uma mais valia para divulgar os aspectos multiculturais, embora semelhantes com alguns países com os quais Angola faz fronteira, no caso da República Democrática do Congo, a República do Congo e a República do Gabão.
A ministra da Cultura prometeu que nas próximas edições Angola estará presente, “a partir de agora não parámos, somos o país anfitrião, por isso temos de estar representados sempre”.
O embaixador de França, Sylvian Ytê, assistiu, pela terceira vez, a Noite de Sabores Francófonos, em Luanda, um evento que já vai na quinta edição. De acordo com o diplomata, em cada edição “é um sucesso” porque cresce o número de visitantes, e tiveram, este ano, mil e 200 convites.
Na sua opinião, o aumento de visitantes deve-se ao facto de ser um momento muito esperado, quer por angolanos quer por francófonos, sinónimo que as pessoas gostam de pratos típicos, de sabores que vêm de culturas dos quatro continentes. O significado do evento, para o embaixador de França, traduz-se como “a materialização das culturas, em que a cozinha é um acto essencialmente cultural”.
O embaixador do Gabão, Nambo Guy, considerou a Noite dos Sabores Francófonos muito importante na medida em que permite aos povos dos países da francofonia exprimir a arte da culinária, além de ser uma ocasião para se juntar com toda a família francófona.
“Embora Angola seja um país cuja língua oficial não é o francês, mas acho ser importante festejarmos aqui, pois, existe uma vasta comunidade de vários países francófonos. Angola e Gabão têm boas relações históricas, apoiamos Angola em tempo de conflito armado e compartilhamos um espaço comum na CEAC - Comunidade Económica dos Estados da África Central, com sede no Gabão”, referiu o embaixador.
Por sua vez, o embaixador do Mali, Diamou Keita, considerou a Noite de Sabores Francófonos como o momento especial para a partilha de culturas, que transcende uma só língua (francês). “Na Noite de Sabores partilhamos a música, comida e bebidas típicas e muito mais. É uma oportunidade para afinidades entre as pessoas, com angolanos e membros da francofonia!”, disse o embaixador do Mali. Além do stand de Angola, o stand da França, Suiça e do Congo Democrático apresentaram os pratos típicos e bebidas mais concorridas.
A Francofonia é o conjunto dos locutores que compartilham a língua francesa. São mais de 300 milhões de falantes espalhados nos 5 continentes, sendo a República Democrática do Congo (RDC), o país com o maior número de falantes, a seguir da França.
Fundada em 1970, a Organização Internacional da Francofonia (OIF) promove a língua francesa e incentiva a cooperação entre os 88 Estados e governos membros ou observadores que a compõem. O Dia Internacional da Francofonia comemora-se no dia 20 de Março.

Festival
A Alliance Française de Luanda organiza, desde ontem, um grande festival, que inclui concertos, espectáculos e eventos gastronómicos, para celebrar o 20 de Março. O Festival encerra dia 30 e ontem, houve, no Anim’art, no Cazenga, um espectáculo denominado “Como num livro aberto”, sobre contos e magia.
Amanhã, às 15h00, o Centro Cultural Brasil Angola (CCBA), nos Coqueiros, acolhe várias actividades para crianças, a partir dos 6 anos, com a duração de 45 minutos. O espectáculo é conduzido pelo magicontador, Éric Chartiot, que propõe o universo encantador dos livros através de histórias e truques de magia.
Sexta-feira, a partir das 19h30, mais uma noite de gastronomia. Trata-se da operação “Goût de France”, que acontece simultaneamente em 152 países dos 5 continentes, para a promoção da gastronomia e o “art de vivre” à francesa, inscritos na lista do Património Imaterial da Unesco. Em Luanda, o evento conta com o chefe francês, Julien Mercier, para a descoberta de sabores da região da Provence. No sábado, a Alliance Française de Luanda apresenta um concerto gratuito com duas bandas inéditas. A banda francesa “Billet d’Humeur” e o cantor ruandês Buravan. O concerto acontece a partir das 19h00, na União dos Escritores Angolanos.

Tempo

Multimédia