Cultura

Angola e Espanha reforçam cooperação

Manuel Albano |

O secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley, espera que o projecto cultural “Vis a Vis”, cuja primeira fase encerra hoje às 18h30, no palco do Cine Atlântico, em Luanda, com um segundo espectáculo, possa servir de ponte ao fortalecimento das relações entre angolanos e espanhóis.

Secretário de Estada da Cultura Cornélio Caley ladeado pela embaixadora de Espanha Júlia Olmo e pelo director-geral de Casa África Luis Padrón
Fotografia: Joan Tusell | Casa África

Cornélio Caley disse ontem, em Luanda, à margem de um encontro realizado com músicos angolanos e a equipa de produção do “Vis a Vis”, em casa da embaixadora espanhola no país, que o sucesso do festival só é possível com o engajamento de todos e a mobilização da juventude luandense.
Pelo facto de as entradas serem grátis, apelou à participação de todos, por forma a transmitirem uma mensagem positiva sobre a realidade actual do país aos espanhóis. “Queremos a participação da juventude, de maneira a passar uma imagem de união e harmonia entre as duas culturas.”
O responsável convidou também os agentes culturais espanhóis a visitarem o país, não apenas na altura do projecto “Vis a Vis”, mas aproveitando o momento para conhecerem melhor a realidade artística e cultural nacional.
A base do fortalecimento e estreitamento das relações entre os dois povos, sustentou, passa também pelo sector cultural. “Precisamos continuar a fortalecer e solidificar as relações com outros países, no domínio político, económico e essencialmente no cultural, por ser uma área que mais facilmente aproxima as culturas.”
Para a embaixadora de Espanha em Angola, Júlia Olmo, o momento está a ser importante para o fortalecimento das relações e dar possibilidade aos dois países de identificarem outras áreas de cooperação, principalmente no ramo cultural.
A Espanha, recordou, sempre foi um parceiro estratégico do Governo angolano ao longo de quarto décadas de cooperação, razão pela qual espera que as actividades culturais envolvam os dois povos, “com base na amizade, cordialidade e respeito mútuo.”
O director-geral da Casa África, Luis Padrón, explicou que o “Vis a Vis” está focado em promover e dar maior visibilidade aos artistas angolanos entre os espanhóis. “Queremos mostrar outra realidade do país e sabemos que um dos pontos fortes na divulgação de um país é através de actividades culturais.” Convicto do sucesso do projecto entre os angolanos, agradeceu os esforços implementados entre as instituições governamentais dos dois países, garantindo as condições necessárias para a realização com sucesso do projecto.
A instituição, disse, tem como objectivo principal impulsionar acções e projectos que contribuam para um melhor conhecimento e desenvolvimento das relações entre as sociedades africanas e europeias.

Anúncio dos vencedores

De acordo com a organização, o anúncio dos vencedores é feito amanha, às 11h00, nas instalações do Ministério da Cultura. Hoje, às 19h00, actuam os músicos Wilson Ganzaia, Legalize, Semba Muxima, Mito Gaspar, Dj Ketchup e Elenco da Paz.
Ontem, primeiro dia dos espectáculos, foram destaque de cartaz Angoboyz, Júlio Gil, Ângela Ferrão, Ndaka yo Wiñi, Toto St et Trio e Black Soul.
A Casa África é um consórcio internacional, que conta com o apoio do Ministério das Relações Exteriores e de Cooperação de Espanha, a Agência Espanhola de Cooperação para o Desenvolvimento, o Governo das Ilhas Canárias e a Prefeitura da Las Palmas de Gran Canária.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia