Cultura

Angola e Itália estudam o reforço da cooperação

A cooperação cultural entre Angola e a Itália nas vertentes de formação, arquivos, bibliotecas e museus dominou na quarta-feira, em Luanda, a audiência concedida pela ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, ao embaixador italiano, Claúdio Miscia.

Fotografia: EDIÇÕES NOVEMBRO

Angola e a Itália mantêm um acordo bilateral de cooperação cultural, técnico e científico assinado em 2002 e ratificado formalmente por Angola a 13 de Agosto de 2007. 
Durante a audiência, a ministra Carolina Cerqueira destacou a necessidade de os dois Estados reforçarem os laços de cooperação com acções de promoção da cultura nos respectivos países, de intercâmbio e troca de experiência, bem como a formação de quadros.
A ministra apontou as áreas de restauração e valorização do património histórico-cultural, com particular realce para a vertente do património religioso em que a Itália conta com uma larga experiência. Por seu turno, o diplomata italiano, que falava à Angop no final da audiência, manifestou a disponibilidade do seu país reforçar a cooperação com Angola, ajudando nas acções ligadas à valorização, divulgação e preservação da cultura angolana.
Claúdio Miscia solicitou o apoio de Angola para a elevação da candidatura apresentada pelo seu país à Unesco a património mundial e para a adesão, como observador, na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Segundo o diplomata, a Itália tem um interesse particular na sua adesão à CPLP, apresentando como argumento o facto de mais de 500 mil italianos terem ligações com a comunidade, por terem nascido em países da CPLP ou serem descendentes, concretamente do Brasil, ter o português como língua curricular de ensino em 25 universidades e 11 cátedras.

Tempo

Multimédia