Angola participa em reunião sobre o património mundial


30 de Junho, 2015

Fotografia: Santos Pedro

A 39.ª Sessão do Comité do Património Mundial da UNESCO junta amanhã, até 9 de Julho, em Bona, Alemanha, dirigentes, técnicos e especialistas para examinar as propostas de inscrição de 37 bens históricos na lista do Património Mundial.

Angola é representada pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva. A delegação inclui o governador do Zaire, Johanes André, e vários técnicos do Ministério da Cultura, que trabalham na candidatura de Mbanza Congo a património mundial.
O país desenvolve um trabalho de recolha de elementos para  completar o processo de candidatura da histórica cidade de Mbanza Congo a património mundial da UNESCO. Concluídos os acertos exigidos, uma equipa de peritos da UNESCO vem ao país para comprovar, no terreno, os dados do mapa cartográfico. A formalização da candidatura pode ocorrer até Janeiro de 2016.
O projecto “Mbanza Congo-Cidade a desenterrar para preservar” teve a participação de 17 peritos, dos quais 12 angolanos e os demais de Portugal e dos Camarões, que estiveram a trabalhar nas escavações.
O centro histórico de Mbanza Congo está classificado como património cultural nacional desde 10 de Junho de 2013, um pressuposto indispensável para a sua inscrição na lista do património mundial.
Mbanza Congo é um dos 11 sítios nomeados pelo país para inscrição na lista do património mundial da UNESCO. A língua local, o kikongo, como património imaterial, constitui o destaque dos estudos em curso.
Os trabalhos arqueológicos incluíram a medição da fundação de pedras descobertas em “Tadi dia Bukikua”, onde era o antigo palácio real, o levantamento da missão católica, do túmulo da Dona Mpolo (mãe de D. Afonso I), do cemitério dos monarcas do antigo Reino do Congo e o “Mpindi a Tadi” (local onde se perfumavam os corpos).

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA