Aposta na inovação literária

Adriano de Melo |
20 de Julho, 2016

Fotografia: Paulino Damião

Criação e inovação são as   apostas desta edição do Festival de Poesia e Letras, que começa hoje, nas províncias de Luanda, Bengo, Huíla, Lunda Sul e Cuando Cubango, no intuito de mostrar o melhor do talento poético angolano.

O festival, que conta com a participação de escritores e poetas consagrados e da nova geração, tem projectadas algumas actividades especiais, com destaque para o recital “Mulher é poesia”, que acontece amanhã, às 18h30, no Camões - Centro Cultural Português.
Numa iniciativa do movimento literário Lev’Arte, o recital, realizado em homenagem ao Dia da Mulher Africana, a assinalar-se a 31, é uma homenagem ao empenho e coragem das mulheres africanas, em particular as angolanas, por serem os esteios da maioria das famílias.
Outro objectivo do festival, para o coordenador do Lev’Arte, Kiocamba Cassua, é ajudar a difundir e a valorizar mais a poesia angolana, através da declamação de vários poemas de autores consagrados, assim como dar a conhecer o trabalho de novos talentos.
A ideia, disse, é fazer um cruzamento de estilos de escolas, através da declamação feita por mulheres, na sua maioria poetas, escritoras e  jornalistas, de diferentes gerações. Esta edição do recital conta com declamadores da União dos Escritores Angolanos (UEA),  do Lev’Arte, do Clube Nacional de Poetas e Trovadores de Angola e do Arte ao Vivo.
A maioria das actividades do festival, informou, acontece na Mediateca de Luanda. “A actividade serve também para celebrar os dez anos de existência do Lev’Arte, portanto vão ser realizados muitos especiais de poesia, com vários declamadores nacionais.”
Entre os livros a serem vendidos ao longo da actividade constam “Controversos”, de Cardo Bestilo, “O canto da kianda”, uma colectânea de autoras femininas, “Pegada íntima”, de Ras Nguimba Ngola, e “Pensamentos soltos”, de Mara Oliveira. Durante o festival, também são realizados diversos encontros e seminários, de forma a aproximar mais os leitores dos autores. As actividades decorrem na União dos Escritores Angolanos e no Centro de Imprensa Aníbal de Melo.
No primeiro local, é realizado um encontro entre os escritores e o público, denominado “As letras que falam”, enquanto no segundo acontecem, no dia 22, duas palestras, uma sobre “Noção de literatura e a estrutura do português”, a ser proferida por Jomo Fortunato, e outra sobre “Que jornalistas queremos no futuro”, de José Luís Mendonça.
A terceira edição do Festival de Poesia e Letras (Fespol) decorre até ao dia 23 e tem como lema “Você é poesia”. Além da declamação de poemas, o festival inclui ainda a realização de palestras, seminários, lançamento de livros, documentários do projecto “Leitura porta-a-porta”, exibição de filmes e espectáculos de música.
O festival tem como objectivo despertar o gosto e o interesse pela leitura, em particular pela poesia, desenvolver a arte de declamação, inspirar os novos autores e apostar na internacionalização.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA