Aprofundar nível de cooperação


1 de Julho, 2016

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, abordou quarta-feira, em Luanda, com os líderes da Irmandade dos Negros do Brasil a necessidade de aprofundamento do conhecimento sobre os angolanos transportados para aquele país da América do Sul no período da escravatura.

Falando no final de um encontro com uma delegação da Irmandade dos Negros do Brasil, Carolina Cerqueira informou que o mesmo serviu para a troca de informações sobre esta instituição que tem como fundadores escravos oriundos de Angola.
Segundo a ministra, ficou o compromisso de uma maior colaboração entre as  duas instituições no que toca à troca de arquivos sobre a fundação da irmandade e a origem dos angolanos que iniciaram com esta instituição religiosa no Brasil.
A governante angolana avançou que os documentos serviram de arquivo de estudos para  especialistas angolanos e brasileiros sobre a origem e as rotas de  escravos utilizadas no período da escravatura.
Carolina Cerqueira afirmou que esta colaboração com a instituição brasileira reforça os laços culturais entre os dois países, daí a disponibilidade do ministério de colaborar para que hajam mais documentos que demonstrem a ligação entre os dois Estados.
O encontro, que decorreu no Ministério da Cultura, contou com a presença do arcebispo de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias, e do padre brasileiro Lázaro da Silva Salvador.
O representante da Irmandade dos Negros do Brasil, padre Lázaro da Silva Salvador, considerou à imprensa, no final de um encontro, que a presença em Angola vai servir para investigar e conhecer a origem dos fundadores de uma instituição de muita tradição cultural e religiosa.
O padre referiu que saiu do encontro com a ministra com o compromisso de aprofundar mais o estudo sobre este movimento migratório que  serviu para unir dois povos irmãos separados por um oceano.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA