Cultura

Armando Scoott defende protecção dos oceanos

Roque Silva

“Oceans” é o título da exposição individual de Armando Scoott  inaugurada hoje, às 18h30, na galeria de Maio, na sede da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), em Luanda.

Fotografia: DR

A mostra comporta mais dez quadros inéditos, com retratos e imagens reais e surreais de todos os componentes daquele universo aquático, em homenagem ao oceano e ao Criador, por ser a sua principal fonte de inspiração.
Desenhos de mares, rochas e da vida animal e vegetal marinha se destacam nas telas, criadas este ano, em Luanda e Portugal, com as técnicas de acrílico sobre tela e mistas, numa proposta para reflexão sobre a  protecção da vida nos oceanos.
Quanto ao título da exposição, o artista disse ao Jornal de Angola ter-se inspirado na canção homónima, da banda gospel Hillsong United, cuja composição espelha o que é retratada na exposição. Disse por outro lado que uma tradução em português da letra da música vai passar em algumas telas para permitir que os visitantes compreendam melhor a exposição.
A mostra, segundo Ar-mando Scoott, foi criada e montada sem qualquer apoio institucional e patrocínios, facto que o mesmo lamentou, considerando a ausência de incentivos como uma das razões que contribui para um mal-estar nas artes plásticas em Angola. “Todos so-mos artistas, mas nós, os artistas plásticos, nos sentimos marginalizados, porque quase nunca recebemos apoio institucional.”
Armando Scoott que se notabilizou há dois anos, em Lisboa, ainda como estudante de Artes, em Portugal, informou que chegou a rejeitar por amor a Angola convites da galeria lisboeta AAGP, na qual faz parte, para apresentar a  exposição  “Oceans” em Portugal.
Aos 28 anos, o artista plástico Armando Scoott conquistou 18 prémios, sendo três internacionais, um em França e dois em Portugal.

Tempo

Multimédia