Arquitecto mostra quadros na sala do Palácio do Egipto


11 de Julho, 2014

Fotografia: DR

“Eating the Past l Archaeologies" é o título da exposição do artista plástico luso-angolano Júlio Quaresma a ser inaugurada hoje às 18h00, no Palácio do Egipto, em Oeiras (arredores de Lisboa), e que marca o ressurgimento do criador em Portugal.

Essa exposição itinerante é a mais recente proposta do conhecido inconformista arquitecto e artista plástico, na qual expõe 16 pinturas e duas instalações.
Em “Eating the Past l Archaeologies" o artista explora novas possibilidades de leitura, entre o objecto, a cor africana intensa e sumptuosa, quase expressionista, a desconstrução da identidade e do humano, enformado no anonimato, entre o profano e o sagrado das máscaras africanas e o jogo dinâmico dos volumes.
Com o apoio institucional da Embaixada de Angola em Portugal, depois do Palácio do Egipto, a exposição, de Júlio Quaresma, segue para o Museu de Arte Moderna de Valência (IVAM), onde é inaugurada no início de Dezembro com o nome Arqueologias Comestibles, permanecendo em Espanha durante cerca de três meses, para regressar a Portugal em 2015, onde se espera novo ciclo de exposições. Este ciclo é inaugurado em Março, na Quinta da Cruz, em Viseu, e fica aberta ao público durante três meses. O catálogo do artista vê a assinatura de três reputados curadores e críticos do mapa internacional da arte, o italiano Achile Bonito Oliva, a espanhola Consuelo Ciscar - Directora do Museu IVAM até à data -, e o português Fernando Baptista Pereira - Presidente do Conselho Científico da Universidade de Belas Artes.
Do programa e no âmbito da exposição em Oeiras, consta ainda a palestra do artista “Naturezas Mortas - alguma ironia”, a qual está prevista para às 18h30 de 17 de Julho, também no Palácio do Egipto.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA