Cultura

Arquivos dos Dembos são património mundial

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) aceitou os Arquivos dos Dembos no registo da Memória do Mundo.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) aceitou os Arquivos dos Dembos no registo da Memória do Mundo.
A proposta tinha sido apresentada por Angola, através do Arquivo Histórico, e por Portugal, através do Instituto de Investigação Científica Tropical/IICT, e contempla correspondência datada de finais do séc. XVII até meados do séc. XX entre autoridades africanas da região dos Dembos, no Norte de Angola, e autoridades coloniais portuguesas em Angola.
Os Arquivos incluem ainda correspondência trocada por aquelas autoridades africanas entre si e com o Rei do Congo.
Uma das características que distingue estes documentos reside no facto de reflectir a apropriação da escrita, através da língua portuguesa, por povos africanos do grupo Mbundu, com uma tradição oral Kimbundu.
Os Arquivos dos Dembos fazem parte do acervo do Arquivo Histórico Ultramarino português e são constituídos por 1.160 manuscritos em papel e outros suportes. Os documentos foram guardados por autoridades locais africanas no norte de Angola, na região conhecido por Dembos (Ndembu), do grupo Mbundu, que organizava arquivos do Estado.
A partir da consulta destes manuscritos é possível compreender os continuados relacionamentos entre diferentes povos africanos e entre estes e os europeus.

Tempo

Multimédia