Cultura

Arte de Massano Júnior reconhecida no Lobito

Jesus Silva | Lobito

Massano Júnior foi considerado, no domingo, no Lobito, um ícone da Música Popular Angolana, durante uma homenagem promovida pela Casa Rosa Promoções e Soba-Catumbela, em parceria com a Administração Municipal do Lobito, no encerramento das actividades alusivas aos 106 anos daquela cidade.

Fotografia: Dr

Segundo o administrador municipal do Lobito, Nelson da Conceição, quem viveu nas décadas de 1980 e 1990 tem de se recordar “deste ícone da música angolana”. “É com muito orgulho que venho aqui fazer-lhe esta homenagem”, salientou.

Para Nelson da Conceição, a Administração Municipal do Lobito tem de agradecer o que essa figura muito transmitiu. “Este será o último ano em que vamos comemorar o aniversário da cidade na condição de Administração Municipal, porque teremos provavelmente em 2020, a primeira comemoração já no quadro das autarquias. Nem sabemos quem serão os autarcas, facto pelo qual este ano decidimos fazer os festejos dos 106 anos com um rico programa cultural.”
A Banda Kamutangre Show “KS”, à semelhança de Massano Júnior, também foi distinguida, no domingo, com uma menção honrosa, pelos feitos em prol da música angolana, com particular destaque na cidade do Lobito, nas décadas de 1980 e 1990.
Em declarações ao Jornal de Angola, Massano Júnior considerou ser, praticamente, do Lobito, onde chegou com dois anos, estudou no Colégio Nossa Senhora do Sameiro, na Missão Evangélica e na Escola Comercial, no bairro do Compão, antes de ir para Luanda. O músico deu início à carreira artística no grupo Os Malambas, no Lobito, uma fundação do falecido Correia Victor. Depois, integrou os Negoleiros do Ritmo, fundou o África Show, dirigiu o instrumental 1º de Maio e O Semba África.
Massano Júnior enalteceu as autoridades do município do Lobito por o terem brindado com a homenagem. “Uma homenagem que penso ser digna e merecida. Lembraram-se da passagem pelo Lobito e é fruto do reconhecimento em prol do que fiz para o engrandecimento da música”.
Massano Júnior exortou os artistas da nova geração a melhorarem as letras, porque muitas delas são absurdas. “Enquanto estiver vivo vou continuar a cantar, esperando por melhores dias” concluiu. Gerry, tecladista e director da Banda KS, agradeceu, no acto, a homenagem e destacou as figuras de Viriato dos Santos Pinto e Joaquim Teixeira “Tchombé” que os incentivaram e abriram caminho para o êxito.
Para o músico Tiviné, do Cuanza- Sul, que participou no caldo, as homenagens foram merecidas, pela alegria proporcionada, quer por Massano Júnior, quer pela Banda KS, à população lobitanga, nas décadas de 1980 e 1990.
Além de Tiviné, partilharam o palco com Massano Júnior o agrupamento musical Os Kiezos, Banda Ritmos do Flamingo, do Lobito, e Tony do Fumo (Filho).

Tempo

Multimédia