Arte angolana ganha espaço no mercado internacional

Adriano de Melo |
11 de Setembro, 2015

Fotografia: Johnny k

A arte angolana está a ganhar mais espaço nos grandes desfiles de moda internacional, disse ontem a estilista Vicki Muzadi, para quem é preciso existir uma maior aposta neste sector, de forma a incentivar os criadores.

A estilista, um dos destaques do Africa Fashion Week Toronto 2015, Canadá, explicou que a moda angolana, com os seus traços únicos, feitos com base na cultura de diversas regiões do país, tem tido boa aceitação no mercado internacional.
“O convite para participar no Africa Fashion Week Toronto representa não só uma oportunidade para estabelecer novos negócios e parcerias, como também de levar o nome de Angola a outros países, através das artes e da cultura nacional”, destacou. Porém, a estilista lamentou a falta de uma escola de “designers” especializados e de uma indústria de moda no país. “A vertente formativa é muito importante, em especial para se impor num mercado, dinâmico e competitivo, como o internacional, onde os traços fazem a diferença”, disse.
Vicki Muzadi defendeu uma maior aposta na promoção de estilos que ajudem a valorizar a cultura e a identidade nacional, através da moda. “É preciso levarmos as artes a um nível mais alto, inovando nas tendências, mas sempre dentro do respeito pelas tradições”, justificou.
A base dos seus trabalhos, adiantou, são baseados nos tecidos africanos, com destaque para as cores, as formas e modelos. A estilista angolana ­revelou que tem procurado promover a moda nacional na Europa. Vicki Muzadi nasceu em 1970, na Lunda Norte. Aos 22 anos imigrou para a Grécia, onde se formou na escola Es Mod Veloudakisd, em Atenas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA