Arte de Kiluanji kya Henda exposta nos EUA


8 de Junho, 2016

Fotografia: DR

As mais recentes criações artísticas de Kiluanji kya Henda estão patentes desde ontem e até 7 de Setembro, na exposição colectiva “Built, World”, que decorre no SCAD Museu de Arte, na Geórgia, nos Estados Unidos.


Nesta exposição vários artistas exploram a invenção e construção de realidades na paisagem social e na arquitectura, com uma variedade de meios, desde a fotografia, escultura, até à instalação, usando desde escalas muito pequenas a escalas monumentais.
Os trabalhos do artista angolano abordam as temáticas de noções e práticas de poder e ideologia absorvida no meio ambiente, a que se juntam figuras de peso do universo artístico da qual se destacam Louise Bourgeois (França, Bélgica), Ângela Ferreira, (Moçambique, Portugal) e Olafur Eliasson (Dinamarca, Islândia).
O artista angolano continua a ter um ano muito produtivo no que toca a mostrar a sua arte além-fronteiras. No mês de Maio integrou a exposição e ciclo de debates Museum (Science) Fictions, no prestigiado Centre Pompidou, em Paris.
O artista participou durante uma semana em exposições temporárias e uma série de performances conferências, intervenções e leituras, que contou com a participação de vários artistas, pensadores e críticos.  Com a curadoria de Elena Sorokina, a iniciativa trabalhou o conceito de “museu”, como espaço de apresentação  de arte, de mediação de tempo,próximo ou na fronteira de ser uma narrativa de ficção científica.
Na  sexta-feira, Kiluanji kya Henda inaugurou em Nápoles, em Itália, duas exposições em simultâneo, na Galleria Fonti e na Vulcano Solfatara, patentes até finais de Julho. No primeiro espaço apresenta como trabalho central o vídeo “Concrete Affection - Zopo Lady”, e paralelamente alguns desenhos em tinta da china e uma série de 75 fotos retiradas do vídeo a que se dá exactamente o título de “75”,  uma referência directa àquilo que inspirou o trabalho - o livro do jornalista e escritor polaco Ryszard Kapuscinski intitulado “Another Day of Life - Angola 1975”.
Já na galeria Vulcano Solfatara, o artista apresenta “City Mirage”, uma obra que mistura esculturas de ferro, fotografias, desenhos, vídeo e instalações. Uma imagem do Dubai nos Emirados Árabes dá o mote e funciona como o exemplo de uma cidade nascida do deserto para depressa se tornar num centro incontrolável de importação do Ocidente ao Médio Oriente. Uma das componentes deste projeto são as séries de oito fotografias intituladas “Rusty Mirage (The City Skyline) (2013) que mostram a construção da Cidade Miragem, em metal, no deserto de Al-Azraq na Jordânia (uma destas séries foi adquirida recentemente pela colecção da Tate Gallery em Londres).
As criações do artista angolano estão igualmente patentes desde o passado dia 3 na galeria Savvy Contemporary, em Berlim, Alemanha, na exposição e ciclo de performances “The Incantation of the Disquieting Muse” e na galeria Goodman, com base em Joanesburgo e Cidade do Cabo, na África do Sul, na exposição “New Revolutions”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA