Cultura

Artesãos expõem obras em feira na Ilha do Cabo

Mário Cohen

Artesãos nacionais expuseram mais de 200 quadros de pintura e 150 peças de artesanato, no último sábado no Calçadão da Ilha do Cabo, em Luanda, na edição especial da Feira de Artesanato Urbano Angolana, em alusão ao Dia Mundial do Turismo, que se comemora amanhã.

Ministra Ângela Bragança satisfeita com o que viu na feira
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

A feira, aberta pela ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança, reuniu, para além das obras de artes, exposição de trajes africanos, confeccionados com panos do congo e samakaka, com destaque para bolsas, saias, lenços, bem como bijutarias,  missangas, pulseiras e sandálias feitas de cabedal.    
Os trajes africanos expostos na feira são tipicamente de países do continente berço da humanidade como de Angola, Congo Brazzaville, República Democrática do Congo, Moçambique, Tanzânia, Nigéria e Quénia. Depois de ter percorrido a feira, a ministra Ângela Bragança elogiou os trajes pela sua qualidade e criatividade, tendo encorajado os costureiros a continuarem com o seu trabalho, que de uma maneira está a gerar alguns postos de trabalho.
A ministra da Hotelaria e Turismo ficou satisfeita pela arte dos criadores nacionais e escondeu a sua alegria ao ver uma obra de arte: a famosa galinha de Angola ou galinha do moto, cuja produção artística foi feita com papel e balão.
A governante disse que as obras expostas na feira atraem qualquer turista que visita o recinto onde se pode ver várias obras de arte como o Pensador - símbolo da cultura nacional, os trajes africanos, os quadros de pintura, assim como quitutes e bebidas da terra, como jinguba torrada, bombó assado, pé de moleque e quissângua.

Tempo

Multimédia