Artistas criam projectos de divulgação

Manuel Albano
10 de Outubro, 2014

Fotografia: Paulino Damião

A União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) pretende criar mais projectos que ajudem a dar uma nova dinâmica às criações artísticas nacionais e maior visibilidade aos seus associados, informou o porta-voz da instituição.

Kabudi Ely disse ao Jornal de Angola que a UNAP perspectiva, dentro da celebração do 37.º aniversário da instituição, que se assinalou, quarta-feira, dia 8, melhorar as condições de trabalho dos seus associados, assim como dinamizar os seus programas culturais, educativos e administrativos.
A importância de se criar maiores espaços de reflexão, particularmente, sobre os temas ligados as artes plásticas, e dar maior visibilidade e incluir mais novos talentos nas artes plásticas na instituição, são outros dos projectos da UNAP para os próximos anos.
Para o porta-voz, a criação de políticas mais fortes, que visam a melhoria da situação dos seus associados e os projectos de maior difusão das artes, são um claro sinal desta instituição em adaptar-se aos novos tempos e às tendências e necessidades da época.
Entre as actividades realizadas para saudar mais um aniversário da instituição, adiantou, consta a inauguração da exposição multidisciplinar “UNAP contemporânea”, a ter lugar dia 14, às 18h00, no Salão Internacional de Exposição da UNAP, em Luanda.
“Todas essas actividades de divulgação das belas artes permitem dar mais abrangência e representatividade aos criadores nacionais e permitir aos visitantes ter uma ideia do actual estado da produção artística em Angola”, afirmou.
A exposição, acrescentou, serve ainda como elo para o reencontro dos vários artistas da UNAP e da Brigada Jovem de Artes Plásticas (BJAP). “Queremos observar o processo evolutivo e a qualidade dos trabalhos dos artistas, em especial do ponto de vista estético e de conteúdos, assim como recolher informações e subsídios sobre a instituição”, disse.
Actualmente representados em todo o país, a UNAP, explicou, tem ainda tido inúmeros problemas na realização dos seus projectos devido a componente financeira. “Queremos que os agentes culturais e os empresários prestem mais atenção às artes plásticas, por serem também um instrumento de divulgação e preservação da cultura”, enfatizou.
O quotidiano é a temática predominante na maioria dos quadros a serem expostos na mostra colectiva. “É uma tendência natural os artistas explorarem nos seus trabalhos o dia-a-dia, as experiências de vida, ou a dinâmica da sociedade. É também uma forma de educarem a sociedade e criticar algumas das práticas erradas”, justificou.
Ao longo dos anos, disse, a UNAP tem estado a acompanhar a dinâmica social do país. “A arte também deve seguir essa dinâmica, porque nenhuma actividade se desenvolve com indiferenças e a arte deve ser desenvolvida com acções positivas e consensuais.”
A falta de galerias e um museu de artes plásticas no país tem impossibilitado tornar as artes plásticas mais activas, particularmente no domínio da cerâmica, escultura, pintura, instalação e fotografia. “É preciso uma campanha mais forte de divulgação”, aclarou.
A UNAP, informou, realiza na próxima sexta-feira, às 16h00, um encontro, denominado “Tarde dos Artistas”, ao ar livre, defronte à sua sede, para “criar um espaço mais forte para troca de experiências e recolher subsídios para melhorar a gestão da instituição”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA