Cultura

Artistas defendem a criação de espaços

Manuel Albano |

A artista Fineza Teta disse, ontem, em Luanda, ser importante a criação de mais espaços no país para a divulgação das actividades artísticas, em particular das artes plásticas, por forma a despertar o interesse das crianças.

Troca de experiências entre artistas plásticos e crianças de centro de acolhimento incentiva o aprendizado de noções básicas sobre pintura em tela
Fotografia: LUKENY HENDRICK | angop

Essa preocupação foi apresentada durante uma actividade recreativa com crianças dos lares Horizonte Azul, Dom Bosco e Centro de Acolhimento Arnaldo Janssen, que se realizou, no Atelier Guilherme Mampuya, localizado no Zango, numa iniciativa da Associação Tea Club.
A pintora explicou que o encontro com as crianças serviu essencialmente para despertar nelas o gosto pelas artes plásticas, por ser também uma forma de educá-las sobre os principais problemas sociais.
Realçou que a arte é uma forma de poder moldar o comportamento das crianças e torná-las mais sensíveis aos problemas que as rodeiam. “As artes têm um factor pedagógico muito importante na transformação e mudanças comportamentais da juventude.”
O artista plástico Paulo Kussy disse ser necessário apoiar cada vez mais actividades do género que promovam hábitos salutares e no incentivo à criatividade das crianças, por terem a capacidade de, facilmente, aprenderam os ensinamentos.
Apelou a um maior envolvimento da sociedade e principalmente dos empresários nacionais no apoio às actividades culturais no país, com particular destaque para as artes plásticas, por ser uma das disciplinas artísticas que trabalham muito com a imaginação das crianças.
Por sua vez, o artista plástico Guilherme Mampuya felicitou a iniciativa e garantiu estar sempre disponível para apoiar actividades do género, não apenas em Luanda, mas também noutras províncias.
Explicou que o encontro permitiu a troca de experiências entre os colegas de arte e as crianças, por acreditar que o gesto “é um passo positivo para despertar nas crianças o lado artístico escondido dentro de si.”
O administrador-adjunto para a Área Social do Distrito Urbano do Zango, Miguel Domingos, disse que a intenção é continuar a apoiar iniciativas que promovam e incentivem as crianças a ter uma ocupação, de maneira a não enveredarem para a delinquência.  Um dos objectivos da administração, disse, é poder fazer um acompanhamento das mais variadas actividades culturais desenvolvidas localmente, por iniciativas individuais e colectivas que ajudem a dinamizar as artes no distrito do Zango. “Estamos à disposição para apoiar aquelas iniciativas que sejam mais-valia para a comunidade.”
A  secretária-geral da Associação Tea Club disse que a associação tem desenvolvido várias actividades anualmente, para saudar o mês das crianças, apoiando projectos sociais. Este ano, vai ser realizado, no domingo, o Festival Infanto-juvenil, que vai congregar dez modalidades artísticas.
Ainda para o mês de Junho, está previsto, sob iniciativa da presidente da Associação Tea Club, Welwitschia José dos Santos “Tchizé” a entrega de donativos e uma visita ao Museu da Moeda.
Durante o encontro, mais de 60 crianças, sob o lema “A paz para o nosso país”, dos sete aos 15 anos, tiveram algumas aulas básicas de educação visual e plástica e pintaram alguns quadros com artistas plásticos consagrados.

Tempo

Multimédia