Cultura

Artistas impugnam eleições da UNAC-SA

Mário Cohen

Belmiro Carlos “Nito”, líder de uma das listas candida-tas aos corpos gerentes da União Nacional dos Artistas e Compositores - Sociedade de Autores (UNAC-SA), afirmou quinta-feira, em Luan-da, que não participa num processo eleitoral que viole os estatutos e regulamentos da instituição.

Belmiro Carlos (ao centro) diz que não pactua com anomalias
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

O artista, que falava à margem da conferência de imprensa na qual o cantor Kizua Gourgel, denúnciou o que considera claro desrespeito pelos  estatutos da organiza-ção, afirmou que “hoje Angola vive um período de maior abertura democrática”.
“Nós queremos que as eleições da UNAC-SA se realizem dentro da legalidade, respeitando os documentos legais da instituição, principalmente os estatutos e regulamentos da associação.”
O candidato disse que a lista que lidera vai impugnar o processo eleitoral em curso na UNAC-SA, afirmando que as eleições na instituição “estão a ser organizadas num ambiente verdadeiramente conturbado, onde o anfitrião é árbitro e jogador ao mesmo tempo”.
Deste modo, mostra-se  indisponível, tendo em conta aquilo que considera “falta de lisura e transparência no tratamento das regras do jogo, com manobras e manipulações perigosas, que tendem a arrastar a organização para uma situação calamitosa e de consequências imprevisíveis.”
Belmiro Carlos acrescentou que a direcção da UNAC-SA “arrastou-se à  data fraccionada e tomada por um grupo que há muito vem ensaiando as mais arrojadas manobras que em nada engrandecem a  organização”.
Em Setembro do ano passado, referiu, convocaram, através do Jornal de Angola, uma assembleia-geral, em Luanda, para eleger novos órgãos sociais, quando os estatutos estabelecem que as eleições são realizadas por um processo inclusivo e nacional. “Nós solicitamos a impugnação da referida assem bleia”, declarou.

Tempo

Multimédia