Artistas plásticos no Huambo com dificuldades de produzir

Adolfo Mundombe | Huambo
20 de Agosto, 2016

Fotografia: Eduardo Pedro

O responsável provincial da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) no Huambo  disse ontem, ao Jornal de Angola, que criadores locais debatem-se com falta de trabalho, ao mesmo tempo que pediu maior valorização da actividades dos artistas plásticos.

Pedro Hospital informou que a principal dificuldade tem a ver com a subida dos preços no mercado local e das províncias de Benguela e Luanda dos materiais utilizados na produção de obras de artes.
Frente a isso, disse Pedro Hospital, a clientela também reduziu drasticamente, e as condições de trabalho agudizou-se e a vida dos artistas quase que parou, tendo em conta que vivem em grande medida das vendas das suas obras.
Pedro Hospital disse que os principais clientes são maioritariamente estrangeiros e alguns cidadãos nacionais que procuram os ateliês dos artistas para adquirir quadros, mas o movimento diminuiu nos últimos tempos por falta de condições financeiras.
“Nesta fase de contenção financeira, que o país vive, os amantes das artes queixam-se da falta de dinheiro, o que dificulta também a produção artística na província”, salientou.
  Pedro Hospital realçou que têm sido realizadas algumas exposições na província para que os artistas possam mostrar o fruto do seu trabalho, uma vez que foi cedido um espaço na zona adjacente à Biblioteca Provincial, que acolhe de forma permanente artistas plásticos para exporem e venderem as suas obras.
Pedro Hospital disse que por falta de condições financeiras   fechou a escola de artes, criada para ajudar no fomento das artes plásticas e transmitir conhecimentos às crianças. A escola  contava com 12 alunos com idades entre 14 e 20 anos, nas especialidades de escultura, pintura e artesanato.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA