Artistas querem maior aposta na interacção


5 de Dezembro, 2014

Actores e encenadores do Moxico prometeram ontem, no Luena, aumentar no próximo ano o número de representações para incentivar o público a gostar de teatro e a assistir às peças. 

O dramaturgo do grupo Árvore que dá o Fruto, Isaías Carlos, disse à agência Angop que a intenção da iniciativa também é contribuir para a ocupação dos tempos livres dos jovens e que no próximo ano as peças incidem mais “em conteúdos de carácter pedagógico”, com “mensagens educativas”.
Victor Kandala, actor do grupo Visão Dom Bosco, afirmou que o teatro comunitário é a aposta do colectivo em 2015:
 “É preciso começarmos a levar o teatro até as comunidades porque muitas das vezes as pessoas não têm tempo para se deslocarem aos locais onde se realizam os espectáculos”.
O grupo, referiu, procura nas peças que apresenta falar do consumo exagerado de álcool, da prostituição e de “outros hábitos prejudiciais” e vai continuar a fazê-lo por ser uma das formas de pôr o teatro ao serviço da comunidade, mas para isso é preciso reabilitar os espaços culturais.
Eduardo Sacuanha, actor do colectivo Arte Kissonde, referiu o empenho do Governo Provincial na construção, reabilitação e apetrechamento dos espaços de cultura, como o Cine Teatro Luena e a Casa da Cultura.
Na Direcção Provincial da Cultura do Moxico estão registados mais de dez grupos de teatro, entre os quais sobressaem o Arte Kissonde, Árvore que dá Fruta e Visão Dom Bosco.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA