Assédio sexual no palco do Cine Place

Manuel Albano |
23 de Agosto, 2016

Fotografia: DR

O grupo de teatro Protevida apresenta sábado, às 18h30, no Belas Shoping, em Luanda, a comédia “Quando o amor sobe à cabeça”, que retrata um relacionamento amoroso atormentado pelo assédio sexual entre patrão e empregada.

Escrita por Efigénia da Silva, a peça se baseia em casos verídicos de assédio sexual em locais de trabalho, e se pretende levar a reflexão um tema polémico nas sociedades contemporâneas, embora seja, com frequência, um dos motivos para o enfraquecimento das relações passionais.
O director do grupo, Osvaldo Moreir,a informou que a peça tem a duração de uma hora. Entre as peripécias, as personagens abordam situações de humilhação em plena actividade laboral, sendo mais comuns entre patrão e subordinados.
Outro aspecto que a peça destacaestá relacionado com condutas negativas de fraqueza  emocional a que alguns trabalhadores são submetidos levando-os a desistir do emprego.O objectivo do encenador é dar pistas ás mulheres, principalmente, a romperem o silêncio e procurarem ajuda para denunciar situações dessa natureza.
O grupo exibe, no mesmo espaço, às 20h00, a peça “Manana”, adaptação do romance de Uanhenga Xitu. A peça tem a duração de uma hora, conta a história de um homem apaixonado pela literatura e ao mesmo tempo admirador das obras do autor de  “O Mestre Tamoda”, “Vozes na Sanzala (Kahitu)” e “O Ministro”.
A personagem principal decide prestar tributo a Uanhenga Xitu, através de uma versão da história contada pelo autor em “Manana”.
Ao longo da peça, outras personagens decidem fugir um pouco da história original do livro e solicitam ao narrador que os apresente ao autor.
Adaptação de “Manana” é uma homenagem ao contributo que Uanhenga Xitu deu à literatura nacional. O espectáculo de teatro já foi igualmente exibido  no Centro Cultural de Catete, por ocasião do 90º aniversário de Uanhenha Xitu.
O grupo volta a subir no mesmo palco, uma hora e meia mais tarde, às 21h30, para apresentar “Quando a razão é maior do que a fé”.
 Osvaldo Moreira, autor e encenador  disse que o mesmo narra a história de um cientista que busca a resposta sobre a origem do mundo e sobre os vários mistérios da vida.
O também director artístico do grupo explicou que a peça faz uma análise de vários fenómenos decorrentes na natureza, pondo mesmo em causa a atribuição de vários acontecimentos como autoria de um ser divino, "deus”.
A peça aborda de forma superficial a existência humana, e tem como foco os seres humanos. O grupo Protevida foi fundado em 2008 e tem no seu repertório “Caminhos da Paz”, “Socos e Pontapés”, “Caminho do Coração”, “A Cadeira” e “Manana”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA