Cultura

Associação de Teatro deseja profissionais

Os grupos de teatro nacionais precisam de maior investimento e de novos locais de actuação, para começarem a apostar mais na profissionalização dos seus integrantes, defendeu, ontem, na capital, o presidente da Associação Angolana de Teatro (AAT), Adelino Caracol.

Actores devem ter atenção à qualidade das encenações
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

O facto de não existirem no país grupos profissionais, ou pessoas que vivam à custa do teatro, é para Adelino Caracol um facto lamentável, apesar de haver artistas que “sobrevivem” desta arte.
Em declarações à Angop, o presidente da AAT reconheceu que o investimento nos grupos e a construção de mais locais de actuação, não são os únicos factores para os colectivos se tornarem profissionais, mas é um passo para a maturação dos artistas e para o governo pôr a cultura entre as suas prioridades.
O preço dos bilhetes de teatro, reconheceu, não tem sido o suficiente para a maioria dos grupos se manterem financeiramente, por isso, pediu aos seus directores para criarem espectáculos mais atractivos, de forma a atrair investidores.
O teatro, relembrou, ajuda a dar emprego a muitos jovens, assim como dá chances para explorarem novos horizontes. “Por isso, é preciso olhar para esta e outras artes, de uma forma diferente, como forma de engrandecer o país”, disse Adelino Caracol.

Tempo

Multimédia