Cultura

Associados podem votar em outros ciclos eleitorais

Manuel Albano

Os membros de oito províncias em condições de exercer o direito de voto, dia 17, visando a eleição dos novos órgãos sociais da União Nacional dos Artistas e Compositores - Sociedade de Autores (UNAC-SA), podem fazê-lo em simultâneo com o acto central que se realiza em Luanda.

Coordenador da CNE garante que as listas dos eleitores são fixadas nos próximos dias
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Em declarações, ontem, à imprensa, o coordenador da comissão eleitoral, António de Oliveira “Delon”, explicou que os membros que pretenderem votar noutra província devem apresentar uma declaração que justifique as razões, indique o número de registo e um comprovativo de pagamento das quotas.
Para as eleições, de acordo com a co-missão eleitoral, estão previstas cinco mesas de voto, uma em cada província, nomeadamente Luanda, Benguela, Cabinda, Huambo e Malanje e prevê-se 884 eleitores.
Os locais de votação já estão definidos. Em Luanda, 500 membros vão votar no Museu Nacional de História Natural; no Huambo, 101 eleitores votam no anfiteatro da Cultura; em Cabinda, os 101 membros votam no Museu Regional e em Malanje, 42 associados vão votar na Direcção Provincial da Cultura. Finalmente, em Benguela, os 134 eleitores votam no Centro Turístico Ondjango. Todas as mesas eleitorais têm horário único, entre 10h00 e 16h00.
Antes da votação, devem ser afixadas as listas, para que os eleitores confirmem os nomes. O fim da campanha eleitoral está marcado para o dia 15, sendo o dia seguinte reservado para reflexão. A divulgação dos resultados finais será no dia 21 e a tomada de posse no próximo dia 24.

Indignação da comissão

A comissão nacional eleitoral mostrou-se indignada pelo facto de o artista Belmiro Carlos, candidato da lista B, ter apresentado um recurso com efeito suspensivo, para exigir que os associados de Cabinda, Huambo, Malanje e Benguela possam votar.
Delon questionou a atitude do concorrente da lista B, por antes ter exercido as funções de secretário-geral da UNAC-SA, e que naquela altura havia suspendido, em despacho de 23 de Julho de 2015, as representações do Zaire, Malanje, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Huíla e Cunene.
“Como é possível o candidato da lista B desejar que os membros dessas províncias exerçam o direito de voto?”, questionou o coordenador da comissão nacional eleitoral.
O coordenador deu a conhecer que ficam privadas de votar todas as pessoas cujos nomes não constam na base central de dados, localizada na sede da UNAC-SA em Luanda, sendo que os cadernos eleitorais já se encontram em posse da comissão eleitoral e os boletins de voto em fase de produção.
A UNAC-SA é uma associação sóciocultural e profissional, proclamada há 29 anos, que congrega compositores, músicos, teatristas, coreógrafos e bailarinos.
A organização com mais de seis mil membros tem por finalidade a dinamização da dança, teatro e música, assim como a luta pela inserção profissional e consequentemente a afirmação social dos seus associados.
A UNAC-SA tinha representações  nas províncias de Cabinda, Zaire, Malanje, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Moxico, Cuanza-Sul, Benguela, Huambo, Huíla e Cunene.

Tempo

Multimédia