''Atrás do Crime'' nas salas de Caxito

Alfredo Ferreira | Caxito
26 de Julho, 2015

Fotografia: Francisco Domiciano

“Atrás do Crime” é o título do filme de produção nacional  exibido ontem, no Restaurante ANIL, em Caxito, numa iniciativa do projecto “Kamba”, criado para  dar um novo impulso à sétima arte e aos seus criadores na província.

A curta-metragem, de 60 minutos, narra a história de um jovem empresário que não mede esforços para atingir os seus objectivos, na ânsia de tomar o poder da empresa onde desempenha a função de administrador executivo, ao ponto de idealizar a morte do Presidente do Conselho Administrativo da instituição e ocupar o cargo.
O porta-voz do projecto “Kamba” informou que um dos objectivos do mesmo é ainda consciencializar a sociedade, particularmente os jovens, em relação a actual ânsia pelo poder, que os leva até mesmo a recorrerem a práticas criminosas.
Para João Agostinho Araújo, que também é o actor principal do filme, a curta-metragem vai ajudar as pessoas a repensarem em como se pode alcançar o poder, através de competência e formação.
O actor adiantou ainda que os criadores do projecto têm pretensões de o apresentar em todas as províncias do país. “Kamba”, explicou, foi criado em 2012 e os seus criadores tiveram em conta a actual fase de reconstrução do país, onde o papel do homem, em especial dos jovens, é fundamental.
“É preciso construir uma sociedade com homens dispostos a vencer, mas que nesta busca pelo poder estejam sempre conscientes dos princípios típicos da sua cultura e identidade, de forma a respeitarem mais os seus irmãos angolanos. Esta é uma primeira fase e com o apoio de todos este projecto pode ser mais amplo”, justificou.

Apoio da cultura

O director provincial da Cultura no Bengo garantiu, após a exibição do filme, que a sua instituição vai continuar a apoiar o projecto “Kamba”, de forma a  torná-lo mais abrangente e com temas mais inclusivos, nos quais os jovens se possam rever.
Moisés Kafala informou que um dos programas da sua direcção é apoiar e ajudar os jovens com acções de formação no campo das arte cénicas e através de pesquisas e projectos concretos para incentivar os jovens criadores cinematográficos.
Este tipo de filme, revelou, vai ajudar também muitos jovens a reflectirem sobre as suas acções, muitas reprovadas pela sociedade como é a criminalidade, e passem a optar pela formação profissional e académica.

Incentivo aos jovens

O escritor António Quino, que também assistiu à estreia do filme, felicitou a iniciativa dos jovens em criar um projecto para demonstrar o outro lado da vida sociocultural da região. “Durante a exibição do filme constatei a preocupação da juventude em relação a crescente criminalidade, um mal que enferma a sociedade.”
O projecto destacou é muito interessante pela sua temática e vai ajudar na construção de uma sociedade mais justa e menos materialista e consumista. O projecto que contou com a participação de 102 actores, teve, na primeira fase das gravações, um gasto orçamental de 19 mil dólares norte-americanos. Para terminar o projecto e incluir outros temas, o realizador José Miguel Manuel acredita que ainda precisem de 30 mil dólares.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA