Áustria recusa devolver obra aos herdeiros


18 de Março, 2015

Fotografia: Reuters

Uma das pinturas mais famosas de Gustav Klimt, “Beethoven Frieze”, não é devolvida aos herdeiros do ex-dono da obra, por decisão da justiça austríaca.

 “Beethoven Frieze”, com 34 metros de comprimento, uma homenagem ao compositor da Nona Sinfonia, pertencia à família Erich Lederer, judeus que foram para a Suíça quando em 1938 a Alemanha nazi anexou a Áustria a colecção de obras arte da família foi apreendida.
Erich Lederer disse que recuperou a obra em 1902 após a II Guerra Mundial, mas a Áustria não o deixou exportar a colecção a não ser que a vendesse ao Estado com um desconto, disseram os advogados da família.
Erich Lederer vendeu o quadro em 1970 por 750 mil dólares. O Governo austríaco, que devolveu em 1999 obras de Egon Schiele, quase contemporâneo de Gustav Klimt, aos herdeiros de Eeich Lederer, anunciou que vai cumprir a decisão tomada por um grupo de especialistas que garantem a venda legal ao Estado de “Beethoven Frieze”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA