Cultura

Aventuras de Astérix e Obélix no mundo da banda desenhada

Astérix e Obélix, os célebres gauleses que surgiram no mundo da banda desenhada em 1959, estão de volta para uma nova aventura que os vai fazer descobrir o outro lado dos “povos itálicos”.

Os protagonistas da série de aventuras mais vendida no Mundo, com 370 milhões de exemplares, que até agora só tinham estado em Roma, conhecem na sua nova história (a 37.ª) uma Itália antiga sob o título “Astérix e a Transitálica”, cujo lançamento mundial está previsto para 19 de Outubro. “Com a batalha interminável entre os gauleses e os romanos, a ideia de Astérix viajando para a Itália sempre esteve lá, debaixo do meu nariz”, disse à agência AFP o argumentista Jean-Yves Ferri, que participou de 3 a 6 deste mês em Bolonha (no centro da Itália) na Feira Internacional do Livro Infantil.“Também queríamos prestar uma homenagem às origens italianas de Alberto Uderzo”, disse Jean-Yves Ferri, em referência ao ilustrador actualmente aposentado que criou os personagens com o escritor René Goscinny.
Jean-Yves Ferri foi co-autor com o desenhador Didier Conrad dos últimos três livros da série, incluindo “Astérix entre os Pictos” (2013) e “O Papiro de César” (2015).
Designada por Uderzo, a dupla Conrad-Ferri vai acompanhar as travessias do pequeno gaulês e seu companheiro Obélix por toda a península italiana, desde Veneto, no Norte, até à Sicília, no Sul. “A Itália sob o domínio de César não é só Roma. Há regiões muito diferentes e nem todas estavam a favor do imperador, de modo que têm algo em comum com Gália”, comenta Jean-Yves Ferri, de 57 anos.
A história desenvolve-se no ano 50 a.C., e César “sonha unificar a Itália, embora alguns defendam a independência”, aponta o argumentista.

Tempo

Multimédia