Aventuras de Mad Max regressam em Cannes


1 de Abril, 2015

O novo filme da série de ficção e aventura “Mad Max” estreia-se dia 15 de Maio no Festival de Cinema de Cannes deste ano, informaram ontem os realizadores do quarto episódio, “Estrada da Fúria”.

O filme, que tem como destaque um herói, Max Rockatansky, atormentado pelo passado, regressa com um novo protagonista, Tom Hardy, a substituir Mel Gibson. Nesta sequência, 30 anos desde o último filme da trilogia de George Miller, o cenário de guerra é o mesmo, só que desta vez causado pela seca.
Em “Mad Max: Estrada da Fúria” luta-se por água e petróleo num deserto que não acaba. Neste local, o icónico guerreiro, que chegou ao cinema em 1979, luta contra um gang, liderado por Furiosa (interpretada por Charlize Theron).
Embora pouco ainda se saiba sobre esta quarta aventura de Max Rockatansky, a Warner Bros informou que vai trazer tudo o que a trilogia Mad Max mostrou nos anos 1980: um mundo insano de lutas e mortes, explosões e guerra.
Os críticos e os jornais especializados destacam que “Mad Max: Estrada da Fúria” é um dos filmes mais aguardados de 2015, principalmente por estar a ser feito há dez anos.
O filme do realizador australiano George Miller integra a selecção oficial do festival, fora da competição. No dia a seguir, chega aos cinemas de todo o mundo, na versão a que o cinema sempre nos habituou, 2D e 3D.
Uma das maiores ausências desta sequência é Mel Gibson, que ganhou fama com Mad Max e transformou Max Rockatansky, o polícia justiceiro, num herói ao nível de John Rambo e John McClane nos anos 1980.
Numa entrevista ao “The Huffington Post”, George Miller disse que não só o actor envelheceu, não se adequando mais ao papel, como a produção deste filme arrancou numa altura em que Mel Gibson não era um valor seguro. “Quando estávamos preparados para ‘Estrada da Fúria’, Mel estava com todos aqueles problemas”, informou o realizador, referindo-se a intervenções polémicas que o actor teve depois do 11 de Setembro e ainda a problemas com o abuso de álcool.
A escolha de George Miller recaiu então no actor britânico Tom Hardy, 37 anos. “Quando estávamos a fazer o casting, pensei que ele tinha toda a capacidade. Passou muito tempo no teatro”, defendeu o realizador. “É uma inefável parte do Max. Ele tem aquela qualidade que me lembra tanto o Mel Gibson quando chegou a mim pela primeira vez.”
“Mad Max - As Motos da Morte” foi o primeiro filme da série. Chegou aos cinemas em 1979. O mundo caótico de Max, que se vê numa luta entre dois gangs de motociclistas, teve sucesso imediato. Seguiu-se “Mad Max 2 - O Guerreiro da Estrada” em 1981 e por fim “Mad Max - Além da Cúpula do Trovão”, filme de 1985 que marcou a estreia de Tina Turner no cinema.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA