Bailarinos do Bolshoi mobilizam apoio


12 de Dezembro, 2014

Fotografia: AFP

Bailarinos russos e ucranianos uniram as sapatilhas no palco do emblemático teatro moscovita Bolshoi, durante uma apresentação de caridade em benefício da Escola Coreográfica de Kiev, num momento de tensão entre Rússia e Ucrânia.

A iniciativa, que teve lotação esgotada, foi organizada pela principal bailarina do Bolshoi, Svetlana Zajarova, que teve a ideia depois de visitar a sua “Alma Mater”, a Escola Coreográfica de Kiev.
“Fiquei surpresa ao ver que não estava apenas em mau estado, mas pior do que quando eu estudei ali”, contou Zajarova à AFP. “Quando vivemos uma situação tão difícil, é preciso pensar nos jovens que estudam ali. É preciso ajudá-los, não importa o país onde vivem”, destacou.
Para a sua colega do Bolshoi, Natalia Osipova, era impossível não participar no projecto. “Eu mesma me lembro até que ponto era terrível entrar numa sala de dança no Inverno e tremer de frio”, contou.
No teatro de dança mais imponente de Moscovo, a tarde começou com paixão, disse no intervalo o produtor da iniciativa, Yuri Baranov. Desde os primeiros passos, o êxito foi enorme: o público aplaudiu, bateu no chão com os pés. Mostrou entusiasmo.
A iniciativa de Svetlana Zajarova ocorre enquanto as relações entre Rússia e a vizinha Ucrânia vivem o seu pior momento desde a queda da União Soviética. Kiev acusa Moscovo de apoiar os separatistas que lutam contra o exército ucraniano no leste da antiga república soviética. Nos últimos meses, a população russa multiplicou as acções de solidariedade com os civis das regiões separatistas do leste da Ucrânia, onde se concentram os combates.
“Somos gente criativa, não fazemos política. A beleza e a arte não têm nada a ver com a crise na Ucrânia”, avaliou Yuri Baranov, destacando que a iniciativa do evento é “dos artistas e não do governo ou da direcção” do Bolshoi. O dinheiro arrecadado com a venda dos ingressos vai para a Escola Coreográfica de Kiev, que agradeceu à sua ex-aluna pelos esforços.
“Agradecemos a Svetlana por pensar em nós”, disse à AFP um funcionário do centro.
O director artístico da escola, Nobuhiro Terada, afirmou que, embora não tenham sido realizados trabalhos no centro há tempos, isto não os impede de montar novos espectáculos com estrelas mundiais. “Os ucranianos conquistam o mundo”, disse o director artístico, lamentando que os melhores alunos da escola deixem o país para dançar no exterior, especialmente na Rússia.
No teatro Bolshoi, três destes ex-alunos encantaram o público, ao lado dos seus colegas, interpretando peças de Bizet, Prokofiev e Tchaikovski.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA