Cultura

Banda musical Calema dá concerto em Angola

Roque Silva

O grupo são-tomense Calema realiza, hoje, às 19h00, no Cine Atlântico, em Luanda, o primeiro grande espectáculo em Angola, depois de integrar, nos últimos anos, o leque dos grupos estrangeiros mais requisitados pelos produtores de espectáculos de música comercial no país.

Dueto de músicos são-tomenses actuou ontem em Benguela
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

O concerto tem as participações de Bebucho Q Kuia, Nelma Félix, Mário Vaz e Kataleya, cantora brasileira de zouk, durante o qual os anfitriões se apresentam com o suporte de uma banda integrada por artistas nacionais.
Antes do espectáculo, a dupla de cantores, formada pelos irmãos Fradique e António Mendes Ferreira, autora dos clássicos “Vai” e “A Nossa Vez”, promove uma sessão de venda e assinatura de autógrafos do mais recente CD, intitulado “A Nossa Vez”.
O grupo, que é detentor de temas que se tornaram verdadeiros hits no mercado da música lusófona, animou o “Mega Show das Redes Sociais”, no Cine Kalunga, em Benguela, num concerto onde participaram ainda Kataleya, Abiude, Projecto X, Sarissari, Ready Neutro e Extremo Signo. Após o concerto no Cine Atlântico, a dupla tem agendado apresentações no Coliseu de Lisboa, no dia 13 de Abril.
Os irmãos Calema integraram o leque de artistas para o Festival da Música, organizado pela Unitel, no dia 24 de Julho, no Estádio dos Coqueiros, no qual participaram mais de 33 artistas nacionais, entre os quais Anselmo Ralph, Dji Tafinha, Yola Semedo, Big Nelo, Ary e Matias Damásio.
Fradique e António Mendes Ferreira nasceram em São Tomé e Príncipe, na Roça Ribeira-Peixe no sul do país (1987) e na capital São-Tomé (1992), respectivamente.
Com a mesma mestiçagem que caracteriza o povo cabo-verdianos, portugueses e angolares transportando em si uma diversa herança cultural que os conduziu à paixão pela música.
Frequentaram a instrução primária em São João dos Angolares, capital do distrito de Caué, onde fizeram parte do grupo coral da Igreja de Santa Cruz dos Angolares.

Tempo

Multimédia