Cultura

Banda M’Vula vende e autografa “Focus”

Roque Silva

A banda de rock M’Vula realiza hoje, a partir das 18h00, no Centro Cultural Brasil Angola (CCBA), no distrito Urbano das Ingombotas, em Luanda, um conjunto de actividades visando promover o último disco, intitulado “Focus”.

Integrantes do grupo vão manter um diálogo com os seus fãs
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

A actividade tem início com uma conferência de imprensa, onde os integrantes da banda vão explicar detalhadamente as fases de produção do CD, falarem sobre a agenda, os projectos em carteira, o percurso do conjunto e trocarem impressões com a plateia.
Seguir-se-á um momento reservado para a venda do referido álbum no valor de 1.500 kwanzas, por cada exemplar, a assinatura de autógrafos e sessão de fotografias com os seus admiradores, num espaço a ser montado para o feito.
O concerto, que tem a parceira da marca angolana Wammo, vai ser o centro da actividade, no qual são interpretados exclusivamente alguns dos temas que o compõem o disco “Focus”, lançado no dia 18 de Novembro do ano passado.
O repertório do disco mtem 11 temas produzidos nos sub-géneros Nu Metal, mistura de rock com outros estilos nas suas composições, nesse caso o rap.
Os temas abordam o quotidiano do povo angolano, como as dificuldades, angústias, tristezas e alegrias das pessoas que residem nas zonas rurais e não só.
M’Vula é das mais premiadas bandas do género rock em Angola.
Conquistou em 2015 os troféus referente a Melhor Grupo Africano de Rock dos prémios All Africa Music Awards (Afrima) e Banda do Ano no Audio Inferno African Rock Music Awards, atribuídos na Nigéria, Melhor Produção Musical, no Angola Music Awards, Melhor Performance de Rock no International Portuguese Music Awards (Prémios Internacionais da Música Portuguesa), com a música “Mãos Ao Ar”, do disco de estreia, o EP “Tempestade”.
A categoria Melhor Grupo Africano de Rock nos Afrima também foi conquistada em 2016, numa edição que galardoou igualmente a cantora Bruna Tatiana (Artista Feminina do Centro de África) e homenageou o congolês Papa Wemba (póstuma), e os músicos Manu Dibango, dos Camarões, King Sunny Ade, da Nigéria, com de diplomas de honra. Nvula retomou aos palcos em 2012, depois de uma interrupção no início dos anos 2000. A partir daí passou a ter presenças regulares em festivais realizados em Lisboa, Luanda e Benguela.

Tempo

Multimédia