Bravura dos nacionalistas levada ao palco

Roque Silva
7 de Julho, 2016

O grupo de teatro Semente Viva exibe hoje, às 20h00, no Palácio de Ferro, em Luanda, a peça “Guerrilheiro chorão”, um drama sobre a bravura dos nacionalistas que lutaram pela Independência de Angola.

A peça, a ser exibida no âmbito da III Trienal de Luanda, conta a história de um homem disposto a dar a vida pela pátria angolana, colocado na frente de combate, mas que  enfrenta várias vicissitudes.
Ciente dos perigos, problemas e dificuldades para sair vivo do campo de batalha, o guerrilheiro pensa na mãe, na mulher e na filha, pessoas que deixou para lutar, como suportes para procurar coragem. O espectáculo, encenado por José Silveira Teixeira, é um tributo aos heróis nacionais que lutaram pela conquista da Independência Nacional, proclamada a 11 de Novembro de 1975.
O director do grupo  de teatro Semente Viva disse que os personagens fazem recurso a composições de alguns artistas consagrados da velha geração. Pinto Fiel deu a conhecer que temas de David Zé, Artur Nunes e Jacinto Tchipa são interpretados pelos actores Carlos Fiel (guerrilheiro), Divino Salvador (comandante), Elaine Ester (mãe do guerrilheiro) e Zinga Raimundo (pianista).
O grupo de teatro Semente Viva resulta de uma junção entre o Coral Monte Sinai e o grupo de teatro da Igreja Metodista de Monte Sinai, em 2005.
A III Trienal de Luanda teve início a 1 de Novembro de 2015 e decorre até ao próximo dia 30 de Novembro, sob o lema “Da utopia à realidade”. O programa da trienal envolve a promoção de espectáculos de dança, teatro e música, nos quais já passaram artistas nacionais e internacionais como as bandas Afra Sound Star, Movimento, Maravilha, Estética Palanca e a Eyo´Nlé Brass Band; Acácio Bambes, Carlitos Vieira Dias, Next, Anabela Aya e Duo Canhoto.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA