Cultura

Cabo Verde vai instituir prémio Arnaldo França

O ministro da Cultura e Indústria Criativas de Cabo Verde, Abraão Vicente, anunciou quinta-feira a instituição  do prémio literário Arnaldo  França, numa parceria entre o Governo, Imprensa Nacional e a Imprensa Nacional da Casa da Moeda de Portugal.

O anúncio foi feito no acto do lançamento do livro “Debaixo Da Nossa Pele, Uma Viagem”, de Joaquim Arena, no âmbito da Festa do Livro Morabeza, que contou com a apresentação do historiador António Correia e Silva.
Na ocasião, Abraão Vicente disse que a criação deste prémio é uma forma de homenagear Arnaldo França por ter servido de uma “maneira generosa” a investigação literária e científica ligada às letras em Cabo Verde.
“Também por ser visto como o mentor de muitas gerações de investigadores e cientistas na área literária e por ter sido, também, um vulto intelectual da sua geração”, frisou Abraão Vicente.
O ministro explicou, no entanto, que a criação desse prémio vai ao encontro da política da Biblioteca Nacional, ou seja, o reabilitar da política editorial do Governo e numa tentativa de dar uma “força maior” às editoras nacionais.
No entanto, o escritor Joaquim Arena disse à Inforpress que o livro tenta compreender a presença dos africanos e cabo-verdianos na Europa e Portugal, sendo também uma viagem dupla até aos locais onde ainda existem descendentes dos últimos escravos que foram levados de África para Portugal.
Esta obra, para o autor, “são duas linhas narrativas em forma de palimpsesto”, num estilo literário que mistura ficção, história, jornalismo, ensaio, relato de viagem e biografia.

Tempo

Multimédia