Candidatura pronta dentro do prazo


13 de Junho, 2014

Fotografia: Paulino Damião |

O secretário do Estado da Cultura, Cornélio Calei, garantiu, em Mbanza Congo, que o seu pelouro está empenhado em que o dossier de candidatura daquela histórica cidade a património mundial seja apresentado até Janeiro de 2015 à UNESCO.

Em declarações à imprensa no final da sua visita de trabalho de 48 horas à cidade de Mbanza Congo, reconheceu haver desafios a ultrapassar para a referida candidatura.
“Temos desafios sérios a ultrapassar, porque temos um curto espaço de tempo para apresentar o nosso dossier, mas estamos a trabalhar para essa data oficialmente indicada”, sublinhou.
Cornélio Calei considerou que a visita a Mbanza Congo ultrapassou as expectativas, tendo em conta os resultados animadores constatados no terreno onde decorrem as escavações arqueológicas, a cargo de uma equipa de especialistas nacionais e estrangeiros.
A delegação recebeu informações valiosas sobre o dossier que vai servir para a exposição a ser feita na 38ª Conferência do Património Mundial, a decorrer em breve no Qatar, na qual Angola vai estar representada por uma delegação do Ministério da Cultura.
Cornélio Calei manteve encontros de trabalho com as autoridades governamentais locais, equipa técnica das escavações arqueológicas, chefiada pela coordenadora do projecto, Sónia Domingos, e visitou os locais onde decorrem os trabalhos, sítios e monumentos históricos.
O projecto “Mbanza Congo, cidade a desenterrar para preservar”, que tem como principal propósito a inscrição desta capital do antigo Reino do Congo na lista do Património Mundial da UNESCO, foi lançado em 2007, com a realização de uma mesa redonda internacional sobre esta temática.
A directora do Instituto Nacional do Património Cultural, Maria da Piedade, assegurou, em Mbanza Congo, que o edifício que constitui as ruínas da antiga Sé Catedral (Kulumbimbi) vai ser restaurado nos próximos dias, para se evitar a contínua degradação.
Em declarações à imprensa, sublinhou que se pretende tratar a estrutura deste edifício histórico, mas sem ferir o seu estilo arquitectónico e retirar o seu valor excepcional. Para tal, anunciou a chegada a Mbanza Congo, nos próximos dias, de um grupo de especialistas que se vão encarregar do tratamento desta primeira Sé Catedral Católica construída ao sul do Saara, em 1491.
“De acordo com directrizes da própria UNESCO, não se pode utilizar qualquer tipo de material. Portanto, é preciso solidificar para conservação, mas também que os peritos digam como fazer este tipo de conservação”, frisou.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA