Cannes tem um novo rosto


30 de Março, 2015

A actriz sueca Ingrid Bergman é o rosto do 68º Festival de Cannes, ano em que se celebra também o centenário do seu nascimento, por ser um “ícone moderno, uma mulher livre e audaciosa”, como descreveu a organização na sua página oficial.

A organização adiantou ainda que esta é uma das formas usadas para mostrar a sua força simbólica e para dar testemunho da relevância da memória histórica. O ano passado foi a imagem de Marcelo Mastroianni, enquanto protagonista de “8 e ½”, de Federico Fellini, que esteve como destaque.
Ingrid Bergman (1915-1982), actriz de Alfred Hitchcock, ou de Roberto Rosselini, também seu marido, contracenou com Bogart ou Gary Grant, presidente do júri do histórico festival no sul de França em 1973.
“A minha família e eu mesma estamos muito sensibilizados por o Festival de Cannes ter escolhido a nossa maravilhosa mãe para figurar no cartaz oficial, no ano do centenário da sua nascença”, reagiu Isabella Rossellini, citada no comunicado emitido pela organização do Festival.
“O seu excepcional percurso passou por vários países, das pequenas produções artesanais europeias às grandes máquinas de Hollywood. A mamã adorava o seu trabalho de actriz: para ela, representar não era uma profissão, mas uma vocação”, acrescentou Isabella Rosselini.
A organização do Festival de Cannes descreve a actriz de “Viagem à Itália”, “Stromboli”, “Por Quem os Sinos Dobram” ou “Casablanca”, que nasceu em Estocolmo a 29 de Agosto de 1915, como “ícone moderno que mudou de papéis e de país de adopção ao sabor das suas paixões, sem jamais perder a graça e a simplicidade”.
O cartaz, da autoria de Hervé Chigioni, que também é o responsável pelo de 2014, foi criado a partir de uma fotografia de David Seymour, um dos co-fundadores da Magnum.
O Festival de Cannes, entre 13 e 24 de Maio, tem nesta edição, e pela primeira vez na sua história, dois presidentes de júri, os irmãos Joel e Ethan Coen.
Criado por Jean Zay, o Festival de Cannes é um dos mais prestigiados e famosos festivais de cinema do mundo. Até 2002 era denominado Festival International du Film. O Festival realiza-se todos os anos, no mês de Maio, na cidade francesa de Cannes. O “mercado do filme” tem lugar paralelamente ao festival.
Jean Zay criou o Festival no final dos anos 1930, por ficar chocado com ingerência dos governos fascistas alemão e italiano na selecção dos filmes da Mostra de Veneza. Na época ministro da Instrução Pública e de Belas Artes, propôs a criação, em Cannes, de um festival cinematográfico de nível internacional.
Em Junho de 1939, Louis Lumière aceita ser o presidente da primeira edição do Festival de Cinema, que devia ter lugar de 1 a 30 de Setembro. Porém, a declaração de guerra da França e do Reino Unido à Alemanha em 3 de Setembro pôs fim prematuramente a essa decisão, apesar do prémio ter sido atribuído a “Union Pacific”, de Cecil B. DeMille.
A primeira edição do Festival teve lugar realmente em 1946. O Festival não se realizou em 1948 e 1950 por problemas financeiros. Em 1955, foi introduzida pela organização a Palma de Ouro, como prémio principal. Antes desta data, o festival de cinema era conhecido como Grand Prix du Festival International du Film.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA