Cantor Jimmy Page lança disco clássico


27 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Reuters

As remasterizações dos discos da banda de rock Led Zeppelin demonstram que as suas músicas “resistiram ao tempo”, segundo Jimmy Page, guitarrista do grupo e responsável pelo lançamento da nova edição do álbum “Physical Graffiti”.

O músico, considerado um dos melhores guitarristas de todos os tempos, acaba de remasterizar o sexto álbum de estúdio dos Led Zeppelin, “Physical Graffiti”, um trabalho que exigiu muita dedicação, mas que foi feito com grande satisfação.
A nova edição foi lançada terça-feira, exactamente 40 anos a­pós o lançamento original, que vendeu 15 milhões de cópias e se tornou um dos álbuns com maior número de vendas da década de 70.
O novo álbum, qualificado como um dos melhores discos duplos da história, vai ter um disco complementar com sete músicas inéditas, incluindo a primeira versão de “Trampled Under Foot”, intitulada “Brady & Coke”, e misturas de músicas como “In My Time of Dying” e “Houses of The Holy”.
“Estou muito ocupado com esta produção”, afirmou à Agência Efe Jimmy Page, que está com 71 anos, em função da campanha de divulgação em Londres. Jimmy Page disse que a sua canção favorita desse álbum é “Kashmir”, um clássico da banda fundada em 1968 por Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham, que morreu em 1980.
“A resposta foi fenomenal. Este foi um projecto divertido de fazer, porque sabíamos o que estava por vir”, afirmou Page sobre a reacção do público em relação ao lançamento.
Em 2014, o grupo, dissolvido em 1980, reeditou os seus primeiros discos: Led Zeppelin I, II e III, assim como novas músicas, que foram cuidadosamente catalogadas e armazenadas durante décadas nos arquivos da banda.
O produtor e guitarrista dedicou muito tempo a esta produção e promoveu-a pelos estúdios Olympic, localizado em Barnes, nos arredores de Londres, onde as músicas foram gravadas pela primeira vez.
Numa sala ampla, com poltronas vermelhas, o próprio Page encarregou-se de apresentar para a imprensa a nova produção, que agora tem um som muito mais polido.
Os estúdios Olympic fizeram uma reprodução enorme da conhecida capa da primeira versão de “Physical Graffiti”: um prédio em Nova Iorque com cortes nas janelas através das quais se vêem as fotos das capas dos discos anteriores da banda.O edifício da capa fica na rua St. Mark's Place, 97, local que os turistas, fãs de Led Zeppelin, consideram como paragem obrigatória.
As canções adicionais na reedição de “Physical Graffiti” permitem que os fãs da banda escutem sucessos a partir de uma perspectiva diferente.
“É muito bom apresentar este trabalho, pois assim, os detalhes de tudo o que foi feito podem ser apreciados”, disse Page sobre a enorme criatividade dos integrantes do lendário grupo britânico.
“É um bom exemplo porque o disco que acompanha o álbum é muito bom”, acrescentou o guitarrista, sempre vestido de preto e com o seu inseparável casaco de cabedal.
Embora Page tenha afirmado que o factor mais importante para o desempenho e desenvolvimento da banda tenha sido as apresentações ao vivo, ele ressaltou que a possibilidade de viajar pelo mundo trouxe experiências ao grupo que foram reflectidas nas músicas. Além da sua participação nos Led Zeppelin, o guitarrista também integrou as bandas Yardbirds e The Firm e tem uma longa trajectória de projectos com outros artistas e bandas, como Eric Clapton, Rolling Stones, Queen, The Who e The Black Crowes.
Page admitiu à Efe que acha que o som da banda ainda vai ser escutado e admirado por mais 40 anos, pois acredita que já foi demonstrado que a música “resistiu ao tempo”. Para o guitarrista, as músicas “não parecem diferentes” de quando eram escutadas há 40 anos.
Em 2005, Jimmy Page foi condecorado com o título de oficial da Ordem do Império pela rainha Isabel II da Inglaterra, por causa dos seus trabalhos de caridade no Brasil.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA