Cultura

Cantores conquistam prémios dos PALOP

Roque Silva

Yola Araújo e Preto Show conquistaram os prémios de Melhor Artista Feminina e Masculino dos PALOP, respectivamente, na quarta edição dos Prémios Africanos de Entretenimento nos Estados Unidos “África Entertainment Awards - USA”.

Yola Araújo e Preto Show distinguidos nos Estados Unidos
Fotografia: DR

A gala de atribuição dos troféus que distingue, anualmente, artistas africanos cujos trabalhos produzidos no intervalo de um ano tiveram maior abrangência, realizou-se em Miami, Estados Unidos, domingo à noite, sob o lema “Diversidade e Unidade”, com os artistas angolanos ausentes por razões profissionais.
A representante dos PALOP, Nilza Lima, disse que os artistas angolanos recebem os troféus em Moçambique, onde vão participar num festival, no final desta semana.
Os cantores premiados “bateram” a concorrência de outros artistas angolanos, moçambicanos, cabo-verdianos, guineenses e são-tomenses. Yola Araújo venceu o primeiro troféu depois de ter sido nomeada em duas edições anteriores, enquanto Preto Show volta a inscrever-se, pela segunda vez, na galeria dos vencedores, uma vez que participa com DJ Darcy, Daniel Nascimento e Maya Zuda, no tema “Wawera”, que conquis-
tou na primeira edição o troféu de Melhor Colaboração.
Os nomeados constam entre os que mais se destacaram, desde Novembro de 2017 até Junho último, depois de uma avaliação feita pelos representantes regionais.
A divulgação dos prémios teve início sexta-feira, com um desfile de moda, em que vários artistas, que têm contribuído para a promoção da cultura africana na diáspora foram homenageados.
O concurso distingue artistas africanos, que se destacaram nos seus países e na diáspora, e norte-americanos, que mais influenciaram os africanos. A valorização e a expansão dos estilos africanos “afro beat”, “assiko”, “bongo”, “decale”, “funaná”, “genge”, “highlife”, “hiplife”, “kwaito”, “lingala”, “kizomba”, “ku-duro”, “semba” e “soukous” são os objectivos da criação do prémio.
Na edição passada, realizada na cidade de Nova Jérsia, em Dallas, Angola teve 31 nomeações, sendo distinguidas a cantora Nsoki, Melhor Artista Feminina dos PALOP e Melhor Single Feminino, Karina Barbosa, Melhor Promotora, Maria Borges, Melhor Modelo, Zap, melhor Televisão, Platine Line, Melhor Portal de Entretenimento.
Em 2016, foram 14 concorrentes angolanos e três troféus conquistados: Coreón Dú, Artista do Ano; Lípsia, Melhor Novo Talento; e a Fundação Lwini, Prémio Comunitário.

Tempo

Multimédia