Cultura

Cantores santomenses levam público ao delírio

O Cine Atlântico, em Luanda, foi pequeno para albergar os apreciadores da banda santomense Calema no seu primeiro concerto no país.

Milhares de pessoas abarrotaram o cinema, no sába-do, para ver cantar os irmãos Fradique e António Mendes Ferreira, este último também guitarrista.

Em digressão por vários países, sob o lema A nossa vez, o grupo passou por Moçambique, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Portugal, França e Suíça.

A banda foi recebida vivamente por uma plateia,  maioritariamente, composta por adolescentes e jovens. O concerto começou às 20h00 e durou mais de três horas, f

   
   

oi marcado pela interacção e momentos de muita emoção, em que não faltaram lágrimas, gritos, assobios e aplausos dos espectadores e fãs que acompanham o grupo.

Não havia espaço para mais ninguém se sentar, apesar de as pessoas permanecerem o tempo todo em pé, pisando nas cadeiras. 

Mário Vaz, Nelma Félix e Vallentez, interpretaram “Ge-lado de Múcua”, “Vem” e “Copo no ar”, para abertura do espectáculo, seguindo do cantor Bebucho Q Kuia, que levou o público a um pé de dança, com os temas “Estamos no tchilo”, “Estamos a vir” e “Encosta na dama do outro”, no género afro house. 

Seguiu-se a cantora Kataleya, brasileira que explora ritmos africanos e música pop, muito aplaudida ao interpretar “O amor não é complicado”, “Me diz se é sério” e “Atrevimento”, antecedeu os anfitriões. Fradique e António Mendes Ferreira dominaram o cansaço da viagem de Benguela a Luanda, na 


Tempo

Multimédia