Cultura

Carlos Burity e Waldemar Bastos homenageados pelas carreiras

Manuel Albano

A vida e obra de Carlos Burity e Waldemar Bastos são recordadas sábado, a partir das 10h00, na União dos Escritores Angolanos, em Luanda, numa homenagem feita pela União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC) em reconhecimento ao contributo dado pelos cantores ao longo de décadas.

Fotografia: DR

O programa de actividades inclui uma oração e vários discursos um dos quais o do presidente de direcção da UNAC, Zeca Moreno, e outros do Ministério da Cultura, Ambiente e Turismo e depoimentos de várias personalidades ligadas a vida política, social e cultural do país.

A decorrer até às 18h00, o programa de actividades inclui ainda, momentos de trova, testemunhos, declamação de poemas, por membros do Movimento Lev’Art, assim como performances dos cantores Sabino Henda, Kyaku Kyadaff, Cid Daniel, Acácio, Kanda, Jelson Castro e Vavá.

A orquestra Camarat foi convidada para interpretar temas clássicos dos homenageados. Durante a actividade vão ser feitos directos, com programas culturais e noticiosos, da Rádio Nacional de Angola (RNA). Zeca Moreno disse, ontem, ao Jornal de Angola, que a música angolana vive um dos piores momentos. “É necessários dar maior dignidade aos criadores angolanos”.

Com grande consternação, o presidente da UNAC lamenta, a situação social deplorável de muitos artistas actualmente. “É necessário que haja maior reconhecimento da classe artísticas, por tudo que têm feito pelo país. Por isso, desta singela cerimónia”, contou, acrescentando que vão ser respeitadas as medidas de prevenção contra a Covid-19.

Adeus a Burity

O funeral de Carlos Burity está inicialmente marcado para sábado no cemitério da Sant’Ana, numa cerimónia restrita à família, devido a Covid-19. O velório, informou o ex-agente do músico, DJ Maló Jaime, está marcado para hoje às 19h00, na sede do Corpo de Bombeiros, em Luanda. 

Numa nota de condolências, o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente expressou o sentimento de pesar pela morte do músico, que considerou um dos mais emblemáticos artistas do panorama musical angolano, cujo trabalho ajudou a hastear o semba.

Carlos Fernandes Burity Gaspar iniciou a carreira artística em 1968. Natural de Luanda, conseguiu colocar, ao longo da carreira, muitos discos no mercado, entre os quais “Ginginda”, “Massemba”, “Zuela o Kidi”, “Paxi Iami” e “Malalanza”.

Última homenagem

Waldemar Bastos, que morreu na segunda-feira, dia 10, vítima de cancro, foi a enterrar ontem à tarde, no Cemitério da Galiza, no Estoril, numa cerimónia restrita à família. De acordo com a informação divulgada pelos familiares do músico, na página do Facebook, houve a oportunidade para se prestar uma última homenagem a Waldemar Bastos, junto da família e amigos, no Anfiteatro do Parque dos Poetas, em Oeiras, que esteve aberto ao público.

 

Tempo

Multimédia